Zâmbia em negociações com Eskom para importação de energia da África do Sul

0
79

 A Zâmbia está a negociar com a estatal sul-africana Eskom a importação de 300 megawatts de electricidade, disse o ministro da Energia, Mathew Nkhuwa, acrescentando que o preço de compra poderá duplicar assim que Lusaka começar a importar a energia da África do Sul.

  O governante zambiano disse a jornalistas, em Lusaka, no final de uma reunião do executivo sobre energia, que a Zâmbia tem um déficit energético de mais de 750 MW devido ao baixo caudal de água nas barragens hidroeléctricas do país, escusando-se no entanto a precisar datas para o início da compra de electricidade a Pretória.

 “(O preço de compra) talvez duplique, porque estamos a pagar metade do valor que devemos pagar pela electricidade”, sublinhou Nkhuwa.

 A Zâmbia, que tem vindo a racionar a distribuição de energia devido à severa seca que atinge o seu sector hidroeléctrico, historicamente tem preços de electricidade abaixo do custo de produção através de subsídios. Somente nos últimos anos, o país começou a aumentar gradualmente os preços de electricidade.

 Em 2017, a instituição reguladora de energia da Zâmbia aprovou um aumento de 75% no preço ao consumidor e introduziu uma tarifa fixa de 9.30 centavos do dólar americano por quilowatt / hora para as empresas de mineração.

 Nkhuwa disse que o governo zâmbiano também está a considerar enviar uma delegação a Moçambique para negociar um novo acordo de compra de energia.

 A Zâmbia reduziu sua previsão de crescimento económico de 4% para cerca de 2% em 2019, devido ao impacto da seca no fornecimento de energia e na produção agrícola do país.