Vinhos portugueses ameçados pela concorrência da África do Sul nos restaurantes em Angola

0
71
Vinhos portugueses

Vinhos portuguesesQuem abre uma carta de vinhos num restaurante em Luanda encontra, por inerência, vinho português. Os restantes surgem no final, na categoria “outros vinhos”, atestando o potencial que a afinidade com Portugal pode representar para as exportações do sector para Angola.

 Ainda assim, e em entrevista à agência Lusa dias antes da apresentação do primeiro Estudo sobre o Mercado dos Vinhos em Angola, a “área manager” da Viniportugal para o país africano alerta: “Temos que continuar a tratar o mercado angolano com muita atenção e não podemos deixar de o trabalhar”.

 “É que – sustenta Sónia Fernandes – existem várias ameaças ao vinho português, nomeadamente da África do Sul, cujos vinhos estão a começar a entrar no mercado e podem muito bem, se não tivermos atenção na nossa promoção e venda, roubar-nos alguma quota de mercado”.
 Beneficiando da muito maior proximidade a Angola, a África do Sul coloca com maior rapidez e menos custos os seus vinhos naquele mercado, “o que permite que sejam vendidos a um preço mais simpático”. Para além destes, na categoria “outros vinhos” das cartas dos restaurantes angolanos surgem sobretudo marcas provenientes do Chile e Espanha.

 Os vinhos espanhóis lideram, aliás, as vendas de vinho a granel em Angola, enquanto Portugal domina por completo o mercado de vinho engarrafado, com uma quota de 97 por cento.
 “Vendemos para Angola de tudo e de todas as marcas, desde vinhos verdes a licorosos, mas essencialmente muito vinho tinto”, disse a responsável da Viniportugal.
 Depois de, este ano, já ter organizado algumas acções em Angola, desde sessões para obter ‘feedback’ dos importadores a “pequenas provas” com profissionais em Luanda e no Lobito, a associação promove a 1 de Julho uma “grande prova de vinhos portugueses”, com “mais de 75 produtores” a apresentar as suas novas colheitas.

 Também previsto para este ano está um concurso de cartas de vinhos em Luanda, assim como a continuidade da aposta em formação iniciada no ano passado com a deslocação a Portugal de um grupo de jornalistas de Angola para receberem formação na área da prova de vinhos e visitarem algumas regiões portuguesas.
 Depois de Angola – que é o maior mercado dos vinhos portugueses, com 445 mil hectolitros e 57 milhões de euros importados em 2009 – os principais clientes de Portugal são, em valor, o Reino Unido (19,5 milhões de euros) e os EUA (18,5 milhões de euros).
 A confirmar o peso de Angola nas exportações portuguesas de vinho está, segundo Sónia Fernandes, o facto de este país “não totalizar a soma dos outros países todos (para onde Portugal exporta), mas representar aí uns 30 por cento” do total.

Na apresentação do primeiro Estudo sobre o Mercado dos Vinhos em Angola – encomendado pela Viniportugal à Brands Advance e a decorrer segunda feira (hoje) no Porto e terça feira em Lisboa – participarão o presidente e a directora de ‘marketing’ da associação, Francisco Borba e Rosa Andersen, para além de Sónia Fernandes e dos responsáveis pelo trabalho, Iain Richardson e Juan Reynolds.