Vasco Futscher é o 1.º artista plástico português a expôr na quase secular Joannesburg Art Gallery

0
241
Vasco Futscher é o 1.º artista plástico português a expôr na quase secular Joannesburg Art Gallery

Vasco Futscher é o 1.º artista plástico português a expôr na quase secular Joannesburg Art GalleryFoi inaugurada no penúltimo domingo, na Johannesburg Art Gallery, um dos mais prestigiados museus da cidade, a exposição do artista plástico português Vasco Futscher. A cerimónia contou com a presença, entre outras individualidades, do embaixador de Portugal, dr. Ramos Pinto, o cônsul-geral em Joanesburgo, dr. Carlos Pereira Marques, a conselheira da Embaixada, dra. Gabriela Soares de Albergaria e o adido social, dr. Gonçalo Capitão.

 A mostra intitulada “Vasco Futscher – Works on Paper”, prolongar-se-á até 29 de Janeiro de 2012 e inclui alguns dos mais recentes trabalhos do artista.
 Inserindo-se num programa do museu destinado a incentivar jovens artistas em início de carreira, esta exposição conta com os apoios do Consulado Geral de Portugal em Joanesburgo e da Fundação EDP.

 Trata-se da primeira vez que um português expõe na Johannesburg Art Gallery e a mostra ocupa duas salas da nova ala da Galeria – o Project Space.
 A Johannesburg Art Gallery, a mais importante galeria pública de arte contemporânea de Joanesburgo, é um dos mais antigos museus do continente africano  e celebrará em 2015 o seu centenário.

* PRIMEIRA MOSTRA INDIVIDUAL

 Vasco Futscher nasceu em Lisboa em 1987. Licenciado em Gestão, concluiu recentemente o Curso Avançado de Artes Plásticas no Ar.Co, tendo sido bolseiro da Fundação Carmona e Costa naquela instituição. Tem vindo a participar em exposições colectivas desde 2008, sendo esta a sua primeira mostra individual.

 Após ter estudado pintura e desenho durante vários anos, Vasco Futscher começou a fazer experiências com cerâmica, enquanto terminava o Curso Avançado de Belas Ar-tes. A partir de 2009, passou a levar a cerâmica mais a sério, explorando as hipóteses do uso do barro numa perspectiva de pintor e desenhador e desde então interessou-se cada vez mais pela interligação entre estas diferentes tradições.

 “A cerâmica, sendo uma das mais antigas formas de arte, é ainda hoje uma parte essencial das nossas vidas” – salienta Vasco Futscher.
 “Nem pintura, nem escultura, mas um pouco de ambas, tão frágeis quanto duradouras, rápidas e directas na sua criação, as peças de cerâmica permanecem não obstante objectos no espaço. Ao mesmo tempo, um pedaço de porcelana oferece-se para ser vidrado, como uma folha de papel ou uma tela para ser pintada. A sua longa tradição apresenta soluções originais para as muitas dúvidas estéticas com que a produção de arte contemporânea se confronta” – refere o artista.

 “O desenho, é, no entanto, ainda uma prática essencial e uma fonte inesgotável de inspiração, sem o qual seria impossível avançar. Estes meus desenhos, que faço lado a lado com a cerâmica, são tão importantes como as próprias peças” – disse Vasco Futscher.