V. Guimarães diz adeus à Europa com derrota em casa com o Lyon

0
83
V. Guimarães diz adeus à Europa com derrota em casa com o Lyon

O V.Guimarães terminou a sua participação na presente edição da Liga Europa com uma derrota caseira diante dos franceses do Lyon. O jogo de despedida da equipa portuguesa das competições europeias foi um espelho fiel daquilo que foi a prestação da equipa na prova: prometedora, mas sem glória.

 A aventura minhota começou a 19 de Setembro, com a goleada ao Rijeka que valeu a liderança do Grupo.

 Seguiu-se a deslocação a Lyon e um empate saboroso que serviu para manter o es-tatuto de líder. O pior veio depois. As derrotas e a imagem pálida nos jogos com o Bétis e na Croácia crucificaram o sonho europeu da equipa de Rui Vitória.

 Neste encontro, diante do Lyon, o filme seguiu o mesmo alinhamento. O V.Guimarães entrou bem no encontro, colocou-se em vantagem, prometia uma noite tranquila e uma despedida positiva. Um erro defensivo de Pedro Correia virou por completo a história do jogo. Em apenas três minutos a equipa portuguesa ficou em desvantagem no marcador.

 Cenário desolador do Estádio D. Afonso Henriques. Bancadas despidas de público para ver a Liga Europa armar-se de  bagagens e partir para não mais voltar esta época.

 O cartaz era esse, ver a despedida da equipa portuguesa na Liga Europa, que há muito estava traçado.

 Rui Vitória e Remi Garde, técnicos do V.Guimarães e do Lyon, tinham em mãos o guião e escusaram-se em colocar em campo as suas principais peças.

 O jogo a isso não obrigava e o tabuleiro, que é como quem diz o relvado do recinto vimaranense, não se apresentava nas melhores condições. O V.Guimarães apresentou-se em campo com sete caras novas em relação ao último jogo.

 “Prestígio” foi o argumento utilizado por Tomané para perspectivar o encontro com os franceses. Alheio a todo o figurino que este jogo acarretava, o jovem avançado aproveitou para mostrar serviço e para se estrear a marcar nas competições Europeias. Um golo dotado de atributos técnicos primorosos conferia justiça ao resultado no tempo de descanso.

 Nos segundos quarenta e cinco minutos, com o jogo perfeitamente controlado, o minuto 61 foi fatídico para o conjunto português. Pedro Correia cometeu grande pe-nalidade e foi expulso.

 O Lyon cresceu e deu a cambalhota ao marcador num curto espaço de tempo, fazendo acompanhar a chuva que caía como um balde de água fria no D. Afonso Henriques.

 Tal como na sua participação em toda a prova, o V.Guimarães teve o pássaro na mão e acabou por o deixar escapar.

 Primeiro na questão do apuramento para a próxima fase, fica a sensação de que a equipa minhota poderia ter ido mais além. No jogo diante do Lyon, o pássaro equivale a cerca de 200 mil euros, importantíssimos para as finanças do clube.

 O V.Guimarães acabou a participação no Grupo I da Liga Europa apenas com um triunfo e com dois empates, o que equivale a cinco pontos e ao terceiro lugar atrás do Lyon e do Bétis.