Trocas comerciais entre China e países lusófonos duplicaram nos dois primeiros meses do ano

0
62
Lusófona

LusófonaAs trocas comerciais entre a China e os países lusófonos aumentaram 99 por cento até fevereiro para 10 697 milhões de dólares (7,9 mil milhões de euros) face aos dois primeiros meses de 2009, indicam dados da alfândega chinesa.

 As estatísticas divulgadas pelo Gabinete de Apoio ao Secretariado Permanente do Fórum Macau indicam que o gigante asiático comprou, em Janeiro e Fevereiro, aos oito Países de Língua Portuguesa produtos no valor de 7,04 mil milhões de dólares (5,2 mil milhões de euros) contra vendas aos mesmos países de 3,65 mil milhões de dólares (2,7 mil milhões de euros), o que traduz aumentos de 131 por cento e 57 por cento, respectivamente.
 Por outro lado, só em Fevereiro as trocas comerciais entre a China e a lusofonia caíram 13 por cento face a Janeiro para um total de 4962 milhões de dólares (3,6 mil milhões de euros).

 Em igual período, as importações do gigante asiático somaram 3267 milhões de dólares (2,4 mil milhões de euros), menos 14 por cento do que em janeiro, e as exportações registaram, no mesmo sentido, uma queda de 13 por cento para 1695 milhões (1,2 mil milhões de euros.
 O Brasil manteve-se nos dois primeiros meses do ano como o principal parceiro lusófono da China, com um volume de trocas comerciais de 6,49 mil milhões de dólares (cinco mil milhões de euros), mais 88,3 por cento do que no período homólogo de 2009.

 As exportações da China para o Brasil totalizaram em Janeiro e Fevereiro 2,88 mil milhões de dólares (2,1 mil milhões de euros), mais 84,6 por cento face a igual período de 2009, enquanto que as importações chinesas atingiram 3,60 mil milhões de dólares (2,6 mil milhões de euros), mais 91,4 por cento.

 Com Angola, o segundo parceiro chinês entre os países de língua portuguesa, as trocas comerciais atingiram 3,67 mil milhões de dólares (2,7 mil milhões de euros), mais 136,2 por cento do que nos dois primeiros meses de 2009, com as compras chinesas a fixarem-se em 3,31 mil milhões de dólares (2,4 mil milhões de euros) – mais 200 por cento – e as vendas a totalizarem 356 milhões de dólares (264 milhões de euros) ou menos 21,3 por cento.

 Para Portugal, o terceiro parceiro comercial da China na lusofonia com um volume de trocas comercias de 434 milhões de dólares (321 milhões de euros), seguiram mercadorias chinesas no valor de 338 milhões de dólares (250 milhões de euros) contra compras chinesas de 95 milhões de dólares (70 milhões de euros), valores que traduzem aumentos homólogos de 26,3 por cento nas vendas chinesas e de 74 por cento nas vendas de Portugal à China.

A China estabeleceu a Região Administrativa Especial de Macau como a sua plataforma para o reforço da cooperação económica e comercial com os países de língua portuguesa em 2003, ano em que criou o fórum que reúne ao nível ministerial de três em três anos.