Triângulo Moçambique, África do Sul e Angola, e o bloco da União Europeia como o mais importante do

0
109
Triângulo Moçambique, África do Sul e Angola, e o bloco da União Europeia como o mais importante do

Ao passar pela África do Sul, no regresso a Lisboa, da visita que fizera a Moçambique, para ali estar presente na cimeira dos Chefes de Estado e de Governo da CPLP, o Presidente da República Portuguesa, Prof. Aníbal Cavaco Silva, dedicou a tarde de anteontem, sábado, 21 de Julho, a Pretória, para contactos com a comunidade lusa aqui radicada.

 Tentando optimizar ao máximo o pouco tempo de escala, para contactos com a comunidade, Cavaco Silva concedeu no Sheraton Hotel uma conferência de imprensa aos órgãos de comunicação social, avistando-se a seguir numa outra sala ao lado com os empresários, convivendo por último, e aqui acompanhado de sua esposa dra. Maria Cavaco Silva, e do novo embaixador de Portugal na África do Sul, dr. Ricoca Freire, com a comunidade portuguesa, na recepção que em sua honra ofereceu na nossa embaixada, e a que marcaram presença compatriotas envolvidos nos mais diversos ramos de actividade neste país de acolhimento, na sua maior parte radicados nas cidades de Pretória e Joanesburgo, para depois de entoados os hinos nacionais da África do Sul e de Portugal, e agradecer o terem aceite o convite para ali estarem, alguns de bastante longe, afirmar:
 “É para mim e para minha mulher uma satisfação enorme voltar à África do Sul, terra que conheço um pouco. Aqui estivémos várias vezes, quando eu e minha mulher estávamos em Moçambique, e depois mais tarde, a título privado, sempre para contactos com a comunidade portuguesa.
Hoje, estando de regresso a Lisboa, vindos do Maputo, onde participei na cimeira de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa, não obstante estar aqui apenas algumas horas, não quis perder esta oportunidade, para me encontrar com a comunidade portuguesa e expressar-lhe a estima, o apreço e a admiração que temos pela comunidade portuguesa e de luso-descendentes a viver na África do Sul.
 Penso que todos sabem que a valorização dos portugueses espalhados pelos quatro cantos do mundo, tem sido uma constante dos meus mandatos, desde a primeira hora em que tomei posse como Presidente da República. Em todas as deslocações que faço ao estrangeiro, procuro encontrar-me com a comunidade portuguesa, foi assim e não há muito tempo em Timor Leste, foi assim em Singapura, foi assim na Indonésia, foi assim na Austrália, e foi assim há dias no Maputo.
 A valorização das comunidades portuguesas no estrangeiro é uma linhamestra da minha actuação como Presidente da República. E foi por isso que decidi mesmo instituir um prémio para distinguir os portugueses, empreendedores e inovadores da diáspora portuguesa, e é assim que todos os 10 de Junho eu me reúno em Portugal com algumas dezenas de empresários portugueses que se têm distinguido nos países onde vivem e trabalham. E foi também por isso que logo ao tomar posse trouxe para o meu gabinete um assessor para me informar permanentemente dos problemas das comunidades portuguesas espalhadas por todo o mundo.
Nós não podemos deixar de aproveitar esses portugueses que prestigiam o nome de Portugal, e que na sua totalidade são quase cinco milhões. Nós temos que saber aproveitar, se calhar nem sempre fomos capazes de aproveitar esta portugalidade nos quatro cantos do mundo.