Transição de Angola para um país de rendimento médio

0
66
Transição de Angola para um país de rendimento médio

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) está a apoiar o governo de Angola na elaboração de um plano a cinco anos para garantir a transição para um país de rendimento médio, disse em Luanda a conselheira económica do PNUD em Angola.

 Glenda Gallardo disse à ONU News que a crise financeira exige alvos concretos para se obter bons resultados, destacou que os cidadãos angolanos têm um papel importante e explicou por que razão o processo é um “desafio e oportunidade” para Angola.

 A graduação de Angola para país de rendimento médio está prevista para Fevereiro de 2021, altura em que se estima que a taxa de desemprego seja de 20%.

 A conselheira económica do PNUD em Angola afirmou em Junho passado que a graduação prevista para Fevereiro de 2021 deve ser vista como um desafio e uma oportunidade, mas, reiterou que, para isso, “é preciso diversificar a economia que depende fortemente do petróleo e ter um investimento intenso no capital humano.”

 A especialista revelou por que é importante o apoio internacional para o sucesso da transição no país, que, em alguns casos, já é considerado uma economia média.

 “Há bancos internacionais que já estão a dar um tratamento de rendimento médio a Angola, pelo que a gradução prevista para 2021 não vai representar uma grande mudan-ça”, sublinhou Glenda Gallardo.

 Entre as recomendações apresentadas pelo PNUD estão o estímulo à formação de jovens no país, bem como o acesso ao ensino médio e técnico e o enquadramento de mais jovens nos processos produtivos.