Teixeira dos Santos e Diogo Barrote escolhidos para liderarem banco BIC

0
40
Teixeira dos Santos e Diogo Barrote escolhidos para liderarem banco BIC

Os ex-ministro das Finanças Teixeira dos Santos deverá ser o novo presidente executivo do Banco BIC Portugal, enquanto Diogo Barrote ficará como presidente do Conselho de Administração (‘chairman’), disse Fernando Teles.

 Segundo o actual presidente do Conselho de Administração do BIC, os accionistas enviaram uma proposta ao Banco de Portugal com os novos nomes para os órgãos sociais do BIC Portugal, propondo Teixeira dos Santos para presidente executivo.

 A notícia de que o ex-ministro das Finanças de José Sócrates vai presidir ao Banco BIC foi avançada pelo Público.

 Quanto ao ‘chairman’, a proposta passa por o lugar ser ocupado por Diogo Barrote, actualmente membro da Comissão Executiva, acrescentou Fernando Teles.

 Relativamente aos principais acionistas do Banco BIC, a empresária angolana Isabel dos Santos, com 42,5%, e o gestor luso-angolano Fernando Teles (que é também presidente executivo do BIC Angola,) com 37,5%, deverão ficar como administradores não executivos, segundo a proposta enviada ao regulador e supervisor bancário.

 O Banco de Portugal está agora a avaliar esta proposta, sobretudo a questão da idoneidade dos nomes propostos, podendo a resposta ainda demorar algumas semanas.

 O BIC Portugal nasceu em 2008, ligado ao BIC Angola, e em 2012 comprou o BPN por 40 milhões de euros, tendo então ficado com mais de 1.000 trabalhadores do banco nacionalizado em 2008 e expandido de forma considerá-vel a sua rede de balcões.

 No ano passado, o banco BIC Portugal teve lucros de 15 milhões de euros, acima dos 1,1 milhões de euros de 2014, revelou recentemente à Lusa o actual presidente executivo do banco, Mira Amaral, de 70 anos, que está de saída da instituição.

 Em Fevereiro, na assembleia-geral do banco, os accionistas escolheram para presidente executivo Jaime Pereira, atual vice-presidente, mantendo como presidente não executivo Fernando Teles.

 No entanto, a imprensa deu conta de que o Banco de Portugal pôs obstáculos a estes nomes, sobretudo ao de Jaime Pereira. Segundo vários órgãos de comunicação social, terá sido aliás este o motivo pelo qual Isabel dos Santos rompeu em Abril o acordo com o espanhol CaixaBank quanto ao BPI, em que é accionista através da Santoro, o que a empresária entretanto negou.

 Jaime Pereira, que é actualmente vice-presidente do BIC e de acordo com a primeira proposta dos acionistas deveria ser o novo presidente executivo, já não ficará na administração do BIC Portugal mas deverá ocupar funções dentro do grupo, afirmou Fernando Teles.

 Licenciado em Economia pela Universidade do Porto, onde é professor da disciplina, Teixeira dos Santos foi ministro das Finanças do Governo socialista liderado por José Sócrates entre 2005 e 2011, sendo que antes tinha sido presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

 Em 2015, Teixeira dos Santos chegou a ser falado para presidente do banco Montepio, tendo assumido que decidiu recusar o convite após “prolongada reflexão”.