Taça de Portugal: Estrela resiste quase meia parte ao Benfica, FC Porto sofre na Madeira

0
103

O Estrela da Amadora, do Campeonato de Portugal (terceiro escalão), resistiu quase meia parte, mas acabou goleado (4-0) pelo Benfica, que se qualificou para os quartos de final da Taça de Portugal em futebol.

O treinador do Benfica poupou o onze habitualmente titular para lançar outros jogadores que têm sido mais ou menos utilizados, mas nem por isso a diferença entre as duas equipas a nível individual e coletivo deixou de ser abissal.

No entanto, a resistência da equipa da Reboleira durou quase até ao intervalo, altura em que Chiquinho inaugurou o marcador, aos 42 minutos, na recarga a um remate de Seferovic, após cruzamento de Diogo Gonçalves.

Na segunda parte, o Estrela, líder do grupo G do Campeonato de Portugal, ‘pagou a fatura’ do esforço desenvolvido na primeira parte para evitar que o Benfica chegasse cedo ao golo e sofreu mais três golos.

O segundo golo do Benfica, aos 51 minutos, por Seferovic, marcou a quebra anímica do Estrela da Amadora, que sofreu o terceiro golo aos 62 minutos, por Chiquinho, a ‘bisar’ e o quarto aos 66, por Luca Waldschmidt.

Já o FC Porto, detentor do troféu, precisou de um prolongamento para ultrapassar o Nacional por 4-2, seguindo em frente para os quartos de final.

  A primeira equipa a marcar foi o FC Porto, aos 22 minutos, por Luis Díaz, mas a resposta insular não tardou e, três minutos volvidos, Brayan Riascos passou rasteiro para Bryan Róchez, que recebeu, rodou e rematou fora do alcance de Diogo Costa.

O Nacional passou para a frente do marcador aos 62 minutos, num grande remate de Brayan Riascos, mas, pouco depois, recebeu rude golpe com a expulsão de Rui Correia por acumulação de amarelos.

Sérgio Conceição arriscou tudo com as entradas de Zaidu, Otávio, Marega, João Mário e Evanilson, esta última decisiva, visto que o avançado brasileiro entrou aos 88 minutos e marcou logo a seguir o golo que evitou a eliminação dos portistas.

No prolongamento, o FC Porto impôs a sua clara superioridade, até porque jogava com mais um elemento, e consumou a reviravolta no marcador aos 101 minutos, num remate desferido à entrada da área por Sérgio Oliveira, tendo, aos 115, Taremi aumentado a vantagem.

Entretanto, um golo do avançado iraniano Shahriyar Moghanlou, num lance polémico, aos 87 minutos, permitiu ao Santa Clara vencer o Moreirense por 2-1 e apurar-se para os quartos de final, um feito inédito para os insulares, fase em que irão defrontar o Sporting de Braga, que goleou o Torreense (Campeonato de Portugal, na quarta-feira, na Pedreira.

O lance do golo acabou por gerar alguma controvérsia, uma vez que Shahriyar colidiu com o guarda-redes Pasinato antes de cabecear, de nada valendo os protestos da formação de Moreira de Cónegos, que viu o árbitro Rui Costa validar o lance após consulta ao videoárbitro.

Com várias alterações face aos onzes apresentados no fim de semana, para a 13.ª jornada da I Liga, cinco nos minhotos e sete nos açorianos, estes foram os primeiros a marcar, por Ukra, aos 36 minutos, mas a equipa de Moreira de Cónegos conseguiu empatar já na segunda parte, por Walterson, aos 51.

Finalmente, o Estoril Praia, líder da II Liga, surpreendeu o primodivisionário Rio Ave, vencendo por 2-1 e garantindo a passagem aos ‘quartos’, nos quais vai encontrar o Marítimo.

Os ‘canarinhos’ cimentaram o triunfo com dois golos apontados na primeira parte, por Yakubu Aziz, aos 14 minutos, e André Vidigal, aos 31, aos quais o Rio Ave só conseguiu reagir na segunda metade, com um tento de Gelson Dala, aos 65.