Sporting venceu Desportivo das Aves num jogo em que o resultado foi claramente melhor do que a exibição

0
63

O Sporting recebeu e venceu ontem o Desportivo das Aves por 3-0 e subiu provisoriamente à liderança isolada da I Liga de futebol, num jogo em que o resultado foi claramente melhor do que a exibição.

  A equipa de Jorge Jesus sentiu grandes dificuldades na primeira parte, perante um Desportivo das Aves bem posicionado em campo e a criar problemas à defesa ‘leonina’ assim que recuperava a posse de bola e saía em velocidade para as transições ofensivas.

  De resto, o jogo só se desbloqueou para o Sporting num lance de inspiração individual de Rúben Ribeiro, cuja titularidade foi surpreendente tendo em conta que chegou a semana passada a Alvalade, e que foi quase sempre um corpo estranho na dinâmica ofensiva dos ‘leões’.

  O ex-jogador do Rio Ave conseguiu ‘tirar um coelho da cartola’ para oferecer o primeiro golo a Bas Dost, vantagem que o Sporting, de todo, não tinha feito por justificar.

  Na segunda parte, a equipa ‘leonina’ acabou por justificar o triunfo pela forma como controlou o jogo depois do segundo golo, de penálti, por Bas Dost, aos 51 mi-nutos, optando por um jogo de contenção que viria a culminar com uma magnífica jogada coletiva de que re-sultaria o terceiro, também do holandês, em cima dos 90.

  Com esta vitória, o Sporting assumiu provisoriamente a liderança, com 46 pontos, mais um do que o FC Porto, que defronta hoje, segunda-feira, o Estoril, na Amoreira, e mais três do que o Benfica, vencedor por 3-1 em Braga, no sábado.

  Por seu lado, o Rio Ave foi ao Restelo vencer o Belenenses por 2-1, muito por ‘culpa’ do talento do jovem Francisco Geraldes, o qual, já em período de compensações, deu o triunfo à equipa vila-condense na execução superior de um livre directo à entrada da área.

  O Rio Ave foi a primeira equipa a marcar, aos 37 minutos, por Guedes, golo esse que premiou a supremacia técnica e tática da equipa nortenha sobre um Bele-nenses sem qualidade individual e coletiva para criar problemas à defesa adversária.

  No entanto, na segunda parte, o Belenenses entrou com outra dinâmica e acutilância, ao mesmo tempo que o Rio Ave foi perdendo fulgor e frescura física, repondo a igualdade aos 53 minutos, por Bakic, que só não foi o resultado final porque Francisco Geraldes fez a diferença na última jogada.

  O Rio Ave isolou-se no quinto lugar, deixando para trás o Marítimo, que cedeu um empate em Paços de Ferreira, enquanto o Belenenses deu sequência ao momento ‘negro’ que atravessa, somando o 11.º encontro seguido sem vencer, oitavo no campeonato.

  Quem se isolou no oitavo lugar foi o Boavista, ao receber e vencer o Portimonense por 2-0, num jogo decidido no primeiro tempo, com golos de Fábio Espinho e Talocha, aos quatro e 41 minutos.

  O Portimonense começou de forma desconcentrada e a dar sinais de vulnerabilidade no setor defensivo, permeável ao futebol vertical que o Boavista apresentou, e que lhe valeu chegar à vantagem logo aos quatro mi-nutos.

  De resto, a equipa algarvia teve um minuto que lhe foi fatal à beira do intervalo, quando o central Lucas Possignolo derrubou Fábio Espinho à entrada da área, e viu o cartão vermelho, deixando a equipa em des-vantagem numérica em toda a segunda parte.

  Pior do que isso para os algarvios, o pontapé livre consequente à falta que redundou na expulsão deu origem ao segundo golo dos ‘axadrezados’, que se limitaram a gerir a vantagem na segunda parte.

  O Boavista passou a somar 24 pontos, ultrapassando o Vitória de Guimarães e ficando mais perto do objetivo de igualar ou melhorar o nono lugar alcançado na época 2016/17, a sua melhor classificação desde que, em 2014, regressou à primeira divisão, enquanto o Portimonense permanece no 12.º lugar, com 18.

  Finalmente, o Tondela recebeu e venceu o Feirense por 3-1, num jogo intenso, com os golos a surgirem apenas na segunda parte e a emoção a durar até final.

  A equipa da casa chegou a uma vantagem de dois golos, o primeiro aos 47 minutos, por Murilo, e o se-gundo aos 54, por Pedro Nuno, vantagem que conservou até ao minuto 74, altura em que João Silva reduziu, fazendo com que o Feirense reentrasse na discussão do resultado até ao minuto 90+6, quando Murilo ‘bisou’.

  O Tondela passou a somar 22 pontos, instalando-se no 10.º lugar, já 10 pontos acima da ‘linha de água’, enquanto o Feirense manteve-se com 17, no 13.º posto.