Sporting de Joanesburgo organiza torneio de futebol para atletas de palmo-e-meio

0
52
Sporting de Joanesburgo

Sporting de JoanesburgoO Sporting Clube de Joanesburgo mais uma vez abriu as suas portas e os seus relvados a centenas de crianças que “invandiram” a sede e tudo o que era espaço na colectividade portuguesa, que  de vez em quando, organiza estes torneios relâmpagos que têm o condão de cativar os futebolistas de palmo-e-meio e não só, pois os familiares acompanham os miúdos.

 Mais de quatrocentos crianças estivéram em acção divididas em dezenas de equipas, disputando renhidamente os seus encontros de 15 minutos, tentanto a todo o custo, não só saborerar a vitória, mas acima de tudo de desfrutar do prazer de estarem juntos a dar uns pontapés na bola.
 O factor vencer, marcar pontos não foi o motivo principal deste torneio de futebol organizado pelo Sporting Clube de Joanesburgo e dos seus dirigentes.
 O importante foi criar uma oportunidade única de convívio entre os miúdos e os pais, que tivéram a soberana chance de ver em actuação os seus pequenos e incentiva-los.

 Já nestas colunas tivémos a oportunidade de afirmar que o Sporting goza de uma situação muito privilegiada, pois está situado no coração de um dos bairros mais populosos do sul de Joanesburgo e, o mais importante é que se trata de uma população heterogénia, que reflete a cem por cento a actual sociedade sul-africana em que vivémos.
 Nos relvados tivémos a oportunidade de ver a “Rainbow Nation” em acção, comungando os momentos de euforia.
 As imagens recolhidas pela nossa camara são mais do que elucidativas da tarde de sonho vivida pelas centenas de crianças.
 O mais importante é que estes encontros dedicados ao “futebol-dente-de-leite” como diriam os nossos irmãos brasileiros, já ultrapassam as fronteiras geográficas que limitam o bairro de Turffontein.

 Miúdos vindos de Rodepoort, Krugersdorp. Randburg inscrevem-se para competir na prova, acompanhados das suas falanges de apoio e está claro dos pais.
 É um exemplo que deveria ser seguido por outras colectividades que até possuem estruturas maiores.
 Os dirigentes do Sporting estão de parabens, pois há anos que tornaram o seu clube o fulcro da juventude.
 Ainda lembamos que o seu presidente Tony Rodrigues numa das suas intervenções nos afirmou:

 “A única maneira de tirar as crianças da rua é criando estruturas e condições para que o desporto seja o seu verdadeiro caminho.
 Nós no Sporting de Joanesburgo, apesar de termos um orçamento muito limitado, es-tamos preparados para receber as crianças do nosso bairro.
 Felizmente temos contado com a motivação dos pais que, depois das horas de trabalho trazem os seus filhos para que eles pratiquem desporto.
 Isto não é uma Academia, mas as crianças aprendem a jogar à bola e temos equipas de miúdos nos mais diversos escalões a participar nas provas oficiais da nossa zona e, para a nossa felicidade têm alcançado bons resultados e ganho alguns torneios.”
 Jock Dias era um, treinador muito feliz, pela afluência de desportistas ao seu clube.

 Na zona da sede, repartida com o restaurante é grande a azáfama dos treinadores dos clubes, dos miúdos e dos membros do comité da organização, com os seus compu-tadores portáteis a registar os resultados e a programar os próximos encontros, que ditarão os vencedores até se chegar à final, sendo encontrado o campeão deste torneio relâmpago.
 Jock Dias começou por nos dizer:
 “Não há palavras que consigam transmitir a minha felicidade por ver estes miúdos nos nossos relvados a praticar futebol.
 Alguns têm três anos, vieram para cá para dar uns pont-pés na bola e passar uma tar-de divertida..

 Tenho também que mencionar a dedicação dos pais e familiares, que aproveitam es-te torneio para conviver com os outros à volta dos relvados.
 Embora tenhamos o nosso restaurante que serve boa comida portuguesa e também refeições rápidas, como pode verificar eles trouxeram os seus grelhadores portáteis e, enquanto se divertem a ver os seus miúdos a jogar, deliciam-se também com as comidas por si preparadas.
 É bom, de ver este mar de gente que enche por completo os nossos recintos.
 Lá dentro não temos espaço algum. Tudo foi tomado.

 O mais importante é o civismo de todos. Com as crianças e os adultos temos para cima de duas mil pessoas e tudo se processa ordeiramente.”
 O Jock Dias como analisa o vosso torneio?
 “Desde o princípio que os miúdos sabem que o mais importante é participar, jogar, dar uns pontapés na bola e se possível marcar golos. O factor vencer não é importante. Está claro que todos querem ganhar, mas conseguimos incutir entre as crianças que isto aqui é um festival dedicado ao futebol.

 Devo dizer que nós no Sporting sentimos muito honrados por receber equipas que vêm de longe, pois é sinal de que este torneio está a ser conhecido para além dos limites do nosso bairro.
 De certeza que as imagens que recolheu, servirão para dar mais expressão do que as minhas palavras.
 Pode crer que me encontro emocionado por ver crianças
com pouco mais de três anos, miúdas também envolvidas nesta tarde desportiva.
 Além disso é grato verificar que o futebol serve para unir raças e credos diferentes.

 Esta é a vantagem do Sporting, pois embora tenhamos muito orgulho em sermos uma colectividade portuguesa, mantendo as nossas tradições e a lealdade ao Sporting Clube de Portugal, nos nossos dias somos um clube que está bem inserido na socie-dade sul-africana.
 Todos nos conhecem. Estes torneios têm o condão de divulgar a nossa existência e de tornar possível a nossa total integração.”
 Mas o Sporting sempre deu apoio à juventude…

 “É verdade, temos jogadores nas nossas equipas que começaram a jogar quando ti-nham apenas três anos. Agora participam nas provas de Sub-12.
 Para além disso também temos equipas que jogam noutros escalões e dignificam as cores do Sporting quando participam na nossa  Liga.”
 Algo que gostaria de acrescentar?
 “Só gostaria de agradecer aos pais  que trouxeram os seus  filhos e principalmente aos miúdos que participaram nesta prova.
 Isto serve para nos dar mais força moral para realizarmos mais torneios.”