Sporting de Braga vence na Luz e afasta Benfica da Taça de Portugal

0
70
Sporting de Braga vence na Luz e afasta Benfica da Taça de Portugal

O Sporting de Braga apurou-se para os quartos-de-final da Taça de Portugal em futebol, ao vencer o Benfica na Luz por 2-1, graças a dois erros defensivos da rectaguarda “encarnada”, no início da segunda parte.

 Os dois golos dos minhotos, aos 48 e 58 minutos, apontados por Aderlan Santos e por Pardo, “caíram do céu”, tendo em conta que a equipa nada tinha feito até aí para os justificar, mas teve, pelo menos, o mérito de saber aproveitar os erros defensivos do Benfica, que tinha-se adiantado aos 33, por Jonas.

 O primeiro golo dos minhotos resulta de um canto, no qual a bola, cruzada a meia altura, não foi interceptada ao primeiro poste por André Almeida, que a deixou passar, Éder falhou também o remate e surgiu o central Aderlan Santos ao segundo poste a finalizar.

 Assim, sem nada ter feito por isso, a equipa minhota, que teve uma primeira parte fraca, anulou a vantagem do Benfica, que podia ter resolvido a eliminatória nos minutos que antecederam o intervalo.

 O Benfica ainda podia ter voltado à vantagem, mas Jonas falhou, aos 55 minutos, para, três minutos depois, Pardo, a 35 metros da baliza, arrancou com a bola em dia-gonal, passou por dois adversários, virou para a sua esquerda, passou os centrais “encarnados” e, completamente livre de movimentos, rematou fora do alcance de Júlio César.

 O Sporting de Braga viu-se em vantagem no espaço de dez minutos, sem que o ti-vesse justificado em termos de produção de jogo, num encontro em que o Benfica pagou um preço alto pelos seus erros defensivos.

 A partir daí, o Benfica ainda tentou dar a volta ao jogo, mas já não tinha Enzo Perez a comandar as operações, e Jonas falhou depois dois golos quase feitos, em lances contrariados pelas intervenções do guarda-redes russo da equipa minhota Kritciuk.

 Por outro lado, Sérgio Conceição conseguiu estabilizar defensivamente a equipa com a entrada de Custódio – saiu Ruben Micael -, passou a jogar com duas linhas baixas a defender, os espaços reduziram-se e as dificuldades do Benfica aumentaram à medida que o tempo e o discernimento escasseavam.

 Jorge Jesus ainda tentou, em desespero, chegar pelo menos ao empate, lançou Ta-lisca, sacrificando Cristante, e mais adiante Derley, retirando André Almeida, mas a equipa bracarense conseguiu segurar a vantagem que lhe garante um lugar nos quartos-de-final.