Sporting de Braga ergue Taça da Liga ao vencer FC Porto

0
57
Sporting de Braga ergue Taça da Liga ao vencer FC Porto

O Sporting de Braga conquistou a Taça da Liga de futebol ao vencer o FC Porto, por 1-0, com um golo de Alan, de grande penalidade, que ditou o desfecho da inédita final disputada em Coimbra.

 Depois de ter afastado o FC Porto da Taça de Portugal, e de ter perdido por duas vezes com os "dragões" para a Liga, por 2-0 e 3-1, o Sporting de Braga impôs-se à formação dos "dragões", que foi uma sombra pálida no palco da fi-nal.

 O Sporting de Braga, que sucede ao Benfica na posse do troféu, marcou no período de descontos da primeira parte e beneficiou durante 45 minutos do facto de o FC Porto ter ficado reduzido a 10 unidades por expulsão de Abdoulaye no lance da grande penalidade.

 Os treinadores de ambas as equipas operaram algumas alterações em relação ao jogo de segunda-feira para a 25.ª jornada da I Liga, no Dragão, tendo entrado Fabiano, Man-gala e Abdoulaye no "onze" do FC Porto e Ruben Micael e Carlão no do Sporting de Braga.

 Após um início de jogo em que o Sporting de Braga teve mais posse de bola, sem contudo criar perigo, e em que o FC Porto criou uma situação de apuro para a baliza de Quim através de uma bola cruzada por Jackson Martinez para James Rodriguez, aos 11 minutos, as equipas mantiveram-se afastadas das balizas.

 Com o encontro a ser disputado em toada morna dentro das quatro linhas, foi na bancada afecta aos adeptos do Sporting de Braga que os ânimos "aqueceram" nos minutos iniciais, com algumas escaramuças a obrigarem à in-tervenção das forças policiais.

 Com a partida a arrastar-se para o intervalo, foi a formação do FC Porto a que de-monstrou maior inconformismo com o resultado e procurou visar a baliza de Quim por Lucho Gonzalez, aos 37 minutos, e Jackson, aos 41, a passe de Defour, e aos 44, a centro de Danilo.

 Já no período de descontos da primeira parte, o Sporting de Braga logrou chegar à vantagem com um golo de Alan (1-0), na conversão de uma grande penalidade a castigar derrube de Abdoulaye a Mossoró, que levou ainda à expulsão do portista.

 O FC Porto entrou na segunda parte em desvantagem no marcador e no relvado, devido à expulsão de Abdoulaye, que levou o treinador Vítor Pereira a render Lucho Gonzalez por Otamendi, e com 45 minutos para voltar à luta pelo troféu.

 A toada do encontro manteve-se morna na segunda parte, com erros sucessivos e passes transviados, tendo pertencido ao Sporting de Braga o primeiro esboço de uma situação de perigo, através de um remate acrobático de Paulão, aos 54 minutos, a passe de Mossoró.

 James, aos 58 minutos, deu um safanão no jogo dos "dra-gões" e cabeceou em posição frontal à baliza do Sporting de Braga proporcionando uma defesa atenta ao guarda-redes Quim.

 Aos 60 minutos, Vítor Pereira substituiu o belga Defour pelo brasileiro Kelvin, que foi o homem do jogo na última segunda-feira frente aos "arsenalistas", ao apontar aos 83 e 86 minutos os dois golos que deram a vitória ao FC Porto, por 3-1.

 A formação "arsenalista" dispôs, de seguida, de várias oportunidades para "matar o jogo", surgindo quase sempre em vantagem em rápidos lances de contra-ataque, que pecaram na finalização.

 Aos 68 minutos, esteve à vista o segundo golo do Sporting de Braga, através de uma boa jogada de Alan, desviando-se ao guarda-redes Fabiano, que lhe saiu ao encontro a fazer a "mancha", e na emenda do remate do brasileiro Ruben Micael acertou na base do poste.

 Quase na resposta, aos 69 minutos, o FC Porto sacudiu a pressão junto à sua área e demonstrou que ainda estava em jogo, por intermédio de Jackson Martinez, que inventou um espaço, armou o pé e rematou forte mas ao lado da baliza de Quim.

 Com o jogo a caminhar a passos largos para o seu termo, pertenceram ainda ao Sporting de Braga as melhores ocasiões para chegar ao golo e aumentar a vantagem, primeiro por Hugo Viana, aos 86 minutos, e depois por José Luís, aos 90.