Solidariedade portuguesa a favor das vítimas do ciclone “Idai” em Moçambique

0
47

 Organizado pelo grupo do torneio de Bisca do Mercado, teve lugar na tarde de terça-feira última, no New Market Restaurant, de que são proprietários José Dias Roda e esposa Bernardete, onde são disputadas as jornadas mensais do torneio de bisca, um almoço para angariação de fundos a favor das vítimas da recente catástrofe ocorrida nas províncias de Manica e Sofala, em que foi demonstrada a nossa solidariedade a favor dos atingidos pela tragédia, convívio este patrocinado por José Dias Roda e Tino Gonçalves.

 Com ementa de feijoada e pernil de porco guisado, especialidades confeccionadas por Rui dos Santos e Tino Gonçalves, além da dobrada que ali é servida às terças-feiras, e sobremesa, nele marcando presença a cônsul moçambicana na Embaixada de Pretória, Albertina António Silvestre Mabuiangue, o Frei Gilberto Teixeira, da Igreja de Santa Maria dos Portugueses, em Pretória West, o secretário da nossa embaixada e gerente da Secção Consular, Eduardo Rafael, os comendadores Ivo de Sousa e Mário Ferreira, este último como presidente da Assembleia-Geral da ACPP e da Academia do Bacalhau de Pretória, além de outras individualidades bem conhecidas da nossa comunidade, entre as quais o presidente da Confraria do Santíssimo Sacramento, António Correia de Freitas, o presidente honorário da ACPP, Manuel José, e outras caras conhecidas como Jaime de Caires, este que com José Dias Roda alvitraram a realização deste convívio, João da Cruz de Jesus, os irmãos Francisco e Nelson Nunes, Manny Pestana, e a que se juntou Virgílio de Castro, de Ellisras.

 O almoço foi aberto com as boas-vindas e agradecimento de José Dias Roda a todos os presentes, com indicação à maneira como depois das palavras proferidas pelo embaixador de Portugal, Manuel de Carvalho, e a cônsul Albertina Mabuiangue, de Moçambique, no domingo anterior, na igreja de Santa Maria, de apelo à colaboração da comunidade portuguesa, a favor das vítimas da tragédia, foi por sua sugestão e de Jaime de Caires, planeado em conjunto com os componentes do torneio de bisca a realização deste almoço, após o que foi pedido ao Frei Gilberto Teixeira para ali dirigir a prece, em termos de bênção da refeição, finda a qual foi pelo comendador Mário Ferreira procedido o leilão do whisky oferecido pelo comendador Ivo de Sousa, e de seguida procedido a colecta voluntária pelos presentes, onde foram angariados setenta mil randes, incluindo os donativos de mil randes de Artur Pereira ali entregues por Ivo de Sousa, assim como outros, de três mil de Sidónio de Castro, e cinco mil de Tino Gonçalves, este último a par de ter sido “sponsor” do almoço.

 Na qualidade de presidente da Academia do Bacalhau de Pretória, o comendador Mário Ferreira num gesto a todos os títulos louvável, e bem de acordo com a sua generosidade, prometeu em nome da tertúlia que lidera, dobrar o montante que ali fosse conseguido naquela tarde, no próximo almoço mensal da Academia, com a totalidade apurada a ser entregue depois às autoridades moçambicanas.  

 As palavras ali proferidas por último pela cônsul Albertina Mabuiangue, que pelo que referiu tivera conhecimento deste convívio pela igreja de Santa Maria, daí viajar naquela tarde até ao restaurante acompanhada do Frei Gilberto Teixeira, foram de agradecimento a Deus por estas boas-vontades demonstradas nestes momentos tão difíceis para o povo moçambicano, pela comunidade portuguesa, no apoio a todos os níveis, a favor das vítimas da catástrofe que atingiu Moçambique, que deixou a par da destruição, até então contabilizados mais de 500 mortos na área mais afectada, como foi a Beira.

 “Estamos com escolas, hospitais e enorme quantidade de moradias totalmente destruídas por esta calamidade, daí gratos aos apoios a todos os níveis”, assim disse a cônsul moçambicana.

 Não tendo palavras para exprimir gestos como o verificado ali naquela tarde, prova evidente da grande solidarie-dade portuguesa, terminou o seu improviso com estas palavras:

 “Em nome do embaixador, que por outros compromissos assumidos não pode aqui estar presente como seria o seu desejo, só Deus vos poderá dar a recompensa a esta vossa contribuição”.