Sintra recebe em Dezembro Primeiro Encontro de Investidores da Diáspora

0
61
Sintra recebe em Dezembro Primeiro Encontro de Investidores da Diáspora

A vila de Sintra recebe em Dezembro o I Encontro de In-vestidores da Diáspora, que pretende ajudar empresários espalhados pelo mundo a divulgarem as experiências e a investirem no país, anunciou o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

 Segundo José Luís Carneiro, o encontro pretende criar "um trabalho em rede que se vai desenvolver com as comunidades portuguesas nas suas dimensões económica e empresarial, tendo em vista não só reconhecer e enaltecer o trabalho e as vidas desses portugueses, mas também contribuir com a sua disponibilidade para investir no país, para ajudar ao crescimento económico das comunidades locais e ajudar a criar outras oportunidades de emprego".

 O governante, que falava quarta-feira nos Paços do Concelho da vila da periferia de Lisboa, revelou que a Secretaria de Estado conseguiu, desde Abril, "identificar 6.800 micro e pequenas empresas de portugueses que vivem, que trabalham, que investem em todo o mundo".

 Desde que abriram as inscri-ções para o primeiro encontro de investidores, em Outubro, a organização recebeu "cerca de 300 inscrições de vários investidores da diáspora, em diferentes sectores, desde a construção civil, limpezas, restauração, indústrias de moldes, plásticos, novas tecnologias de informação, da comunicação, agroalimentar, turismo", adiantou José Luís Carneiro.

 Esses sectores de actividade, notou o secretário de Estado, têm a ver com "áreas sensíveis ao desenvolvimento do país e também nas quais os portugueses que trabalham e investem no mundo estão muito integrados".

 "A nossa intenção é realizar esta iniciativa todos os anos, por esta altura, de Dezembro, porque é o momento em que muitos dos portugueses que vivem em várias partes do mundo regressam a Portugal, regressam às famílias, procurando rodar por outros municípios que também estejam a ser exemplares na atracção de investimentos", esclareceu o governante à Lusa.

 Para José Luís Carneiro, "trata-se de uma mais-valia para a exportação, nomeadamente para o mercado das próprias comunidades portuguesas, porque é um mercado de cinco milhões de pessoas".

 "Além de que os próprios portugueses funcionam hoje co-mo os primeiros promotores dos produtos portugueses jun-to das sociedades de acolhimento, sobretudo no sector da restauração", vincou.

 O presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta (PS), considerou que a "iniciativa tem um aspecto nacional e é verdadeiramente inovadora".

 "Uma das vertentes mais importantes da política externa portuguesa é o acompanhamento da diáspora, porque a grandeza de Portugal não está nas suas fronteiras geográficas, está no seu povo espalhado pelo mundo", afirmou o autarca e antigo dirigente da AICEP (actual Aicep Portugal Global, Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal).

 O presidente da autarquia defendeu que os emigrantes devem ser respeitados "na sua dimensão política e económica", e que vai convidar os empresários do concelho a partilharem as suas experiências para atrair novos potenciais investidores no município.

 O I Encontro de Investidores da Diáspora decorre a 16 e 17 de Dezembro, no Centro Cul-tural Olga Cadaval, com o objectivo de proporcionar "uma visão mais integrada do valor do mercado que representam, da sua importância estratégica, num mundo glo-balizado, competitivo, inovador e exigente".

 A iniciativa pretende "criar um ambiente muito favorável ao ‘networking’, ao debate, à partilha de experiências, à identificação de afinidades, à tomada de consciência das complementaridades entre as diversas realidades da diáspora", salientou uma nota do gabinete de José Luís Carneiro.

 O encontro culmina o trabalho de desenvolvimento do Gabinete de Apoio ao Investidor da Diáspora (GAID), que permitiu identificar micro e pequenas empresas, referenciar o associativismo empresarial e sinalizar 66 Câmaras de Comércio em actividade.

 Até ao momento estão inscritos 31 representantes ou dirigentes de Câmaras de Comércio, federações e associações empresariais, oriundos de 30 países, informou o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

O encontro, com abertura do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, e encerramento pelo ministro Adjunto, Eduardo Cabrita, terá nos vários painéis a participação de outros secretários de Estado das áreas da Internacionalização, Economia, Planeamento e Infraestruturas e Autarquias Locais.