Seis instituições estavam interessados na compra do BPN em 2008, inclusive a CGD

0
84
BPN

BPNSeis instituições mostraram-se interessadas na aquisição do BPN, ao longo de 2008, e entre elas contava-se a Caixa Geral de Depósitos (CGD), segundo revelou Joaquim Coimbra, accionista de referência da SLN.

O empresário revelou que “a Caixa Geral de Depósitos estaria disponível” para comprar o BPN e essa solução merecia a sua aprovação, bem como dos restantes accionistas de referência. “A minha reacção [à venda do BPN à CGD] seria positiva”, frisou Joaquim Coimbra. O negócio só não terá avançado porque não chegou a ser apresentada uma proposta formal de compra, acrescentou o empresário.

Antes, Joaquim Coimbra garantiu que “cinco dos principais accionistas da SLN tinham já assinado um contrato de venda da maioria (60 por cento) do capital da própria ‘holding’”. A operação seria válida entre 1 de Julho e 18 de Julho de 2008 e a contrapartida oferecida era de 2,35 euros, prevendo uma operação de aumento de capital de 300 milhões de euros até ao final do ano. Joaquim Coimbra afirmou a disponibilidade dos accionistas para a venda e disse que o negócio só não avançou devido à falta de cumprimento por parte do comprador. Estava acordado que o valor da operação fosse depositado num banco nacional “de primeira linha” mas  transacção acabou por não acontecer. “Não caiu o dinheiro”, resumiu.