Secretário de Estado das Comunidades não se recandidata a líder da distrital do PS/Porto

0
32
Comunidades

O presidente da federação distrital do PS do Porto, José Luís Carneiro, anunciou que não se irá recandidatar ao cargo nas eleições de Março por estar “comprometido de modo muito activo” no novo trabalho enquanto secretário de Estado.

 “Não serei, por isso, recandidato à liderança da Federação Distrital do Porto nas próximas eleições federativas. Sempre servi os valores e as causas do Partido Socialista. Continuarei, agora de outra forma, a dar o meu contributo para a unidade estratégica do PS e para defender e afirmar os meus valores ao serviço do país”, refere José Luís Carneiro numa declaração política.

 Depois de três anos e meio a liderar a distrital do PS do Porto, o agora secretário de Estado das Comunidades diz ser tempo de “abrir a porta à renovação” e explica estar “comprometido de modo muito activo com o trabalho nas comunidades portuguesas es-palhadas pelo mundo”.

 “Eu próprio estou. Trabalhar para cerca de cinco milhões de portugueses é uma tarefa de grande responsabilidade política. Quero fazê-lo com a atitude e responsabilidade de sempre, implicando a maior disponibilidade e empenhamento possível”, realça.

 Sobre o seu mandato, faz um “balanço francamente positivo” e destaca conquistas nas eleições autárquicas, euro-peias e legislativas.

 Sobre as últimas, que deram “funções de responsabilidade governativa” ao PS, assinala que o “distrito tem a melhor representação de sempre nas funções parlamentares e a maior de sempre no Governo” e que no programa “existem mais de 50 medidas” que resultam de um trabalho do secretariado distrital do PS do Porto.

 Paralelamente, defende que “estão concretizadas dimensões fundamentais na maior federação do país” o que serve de base para um “novo ciclo político” e para uma “mudança de protagonistas”, através de um processo para o qual espera poder “contribuir para criar condições de estabilidade que permitam o trabalho num clima de confiança”.

 “Esta serenidade interna será um legado que, espero, saibam utilizar como um valor”, pede o governante que lembra ter assumido a presidência da federação “num período em que o PS, chegado à oposição, lutava para recuperar a sua imagem danificada pela pressão dos média e pelas circunstâncias económicas e financeiras do país”.

 As eleições para presidente da federação distrital do PS do Porto estão marcadas para os dias 4 e 5 de Março e as candidaturas podem ser apresentadas entre os dias 18 e 19 de Fevereiro.

 O congresso da federação irá decorrer a 19 de Março.