Se custos de produção do petróleo não baixarem Angola arrisca-se a ficar sem indústria petrolífera

0
119
Se custos de produção do petróleo não baixarem Angola arrisca-se a ficar sem indústria petrolífera

O director da Total E&P Angola, Jean-Michel Lavergne, advertiu que, se os custos de exploração de petróleo em Angola não descerem de forma significativa, o país arrisca-se a ficar sem indústria petrolífera, de acordo com a agência financeira Bloom-berg.

 “Se não houver uma significativa redução dos custos, tudo vai parar”, disse Jean-Michel Lavergne, tendo acrescentado que, caso as condições não melhorem, a indústria petrolífera angolana “vai desaparecer”, partindo do princípio que o preço do barril de petróleo se mantém nos 60 dólares.

 Em causa estão várias medidas que o governo de Angola tem tomado nos últimos anos, que fizeram os custos de produção aumentar em 500 milhões de dólares por ano, disse Lavergne, durante um fórum empresarial em Luanda, no qual anunciou que está pedida uma reunião com o go-verno para dar conta destas preocupações causadas pelos custos da regulação.

 As novas normas sobre emissões, aliadas aos preços bai-xos, fazem que algumas empresas estejam a pensar em sair do país, que se tornou o mais recente membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), em 2007, disse o director da Câmara de Comércio Estados Unidos – Angola, Pedro Godinho.

 O barril de petróleo encerrou a semana passada com o “Brent”, variedade de referência para Angola, a cair 1,45% para 48,18 dólares e o “West Texas Intermediate”, negociado em Nova Iorque, a descer 1,79% para 45,10 dólares.