SC Braga vence “gigante” Liverpool e sonha com o “quartos”

0
6
SC Braga

SC BragaOs minhotos receberam e venceram o Liverpool (1-0),  em jogo da 1.ª mão dos oitavos-de-final da Liga Europa. Os bracarenses atenderam assim ao desejo de Do-mingos Paciência, que antes da partida tinha pedido uma noite histórica.

 No plantel de Domingos, a ausência de Vandinho e a chamada de quatro jogadores do "satélite" Vizela (Cristiano, Dani, Peterson e Januário), devido às várias lesões que assolam o plantel, foram os destaques dos convocados do SC Braga para este jogo fren-te ao “reds”.
 No Liverpool, nota para Steven Gerrard, o capitão do Liverpool ficou fora da lista de convocados para o jogo em Braga.
 O SC Braga entrou melhor na partida começava a jogar junto da área dos “reds”. No Liverpool era Raul Meireles quem aparecia na zona de finalização, isto porque o avançado Dirk Kuyt descaía muitas vezes para o flanco direito.

 Entretanto já tinham passado 15 minutos e o jogo estava pouco interessante. Os “reds” apresentaram-se em Braga muito cautelosos e a tentar explorar o contra-ataque. Os minhotos aproveitavam e dominavam.
 Aos 16 minutos, no primeiro verdadeiro lance de perigo, os minhotos alcançaram uma grande penalidade a castigar falta de Kyrgiakos sobre Mossoró. Alan não perdoou e inaugurou o marcador no Estádio AXA.
 O SC Braga adiantava-se no marcador num período em que controlava a partida. O Liverpool foi penalizado pela entrada em campo demasiadamente defensiva.

Os bracarenses continuavam a criar perigo através de jogadas rápidas. O Liverpool ainda não conseguiu responder ao golo sofrido.
 Aos 37 minutos mais um lance de grande perigo para a baliza do Liverpool. Sílvio acertou na barra depois de uma jogada ensaiada do SC Braga com Viana a bater um livre para o interior da área onde surgiu Mossoró a finalizar sozinho. A bola sobrou para a entrada da área onde surgiu o lateral a rematar de pé esquerdo. Reina estava batido.
  A um minuto de toda a gente ir para o descanso, lance de perigo dos “reds”. Depois de uma boa jogada, surgiu um cabeceamento de Kuyt, mas que saiu fraco. Foi a primeira defesa de Artur na partida.

 A segunda metade iniciou-se com Paulo César no chão. O avançado teve mesmo que sair para ser assistido, mas recuperou rapidamente e regressou ao relvado.
 Aos 57, primeira substituição na partida. O treinador do Liverpool tirou Poulsen e colocou o avançado Carrol.
 Com esta mudança, Dalglish apostou mais no ataque, retirando um médio, que já estava amarelado, colocando o "reforço" Andy Carrol em campo.
 Ao minuto 59, Kuyt surgiu isolado na área do SC Braga mas Artur saiu bem da baliza e antecipou-se ao holandês.
 Aos 63 minutos, lance confuso na área dos minhotos, com os jogadores do Liverpool a reclamarem falta de Kaká sobre Joe Cole. O arbitro não assinalou nada e a partida prosseguiu.

 O Liverpool estava um pouco melhor e criava mais perigo. Prova disso foi um remate a meia altura de Kuyt aos 68 minutos e que obrigou Artur a uma grande defesa.
Aos 69, Domingos reforçou a defesa para vigiar melhor o "gigante" Carrol. O sacrificado é Mossoró que deu lugar a Paulão.
 Aos 73 minutos, Hugo Viana criou perigo através de um canto directo, mas Reina desviou para fora.
 A partida arrastava-se para o final e o Liverpool não parecia conseguir contrariar a vantagem do SC Braga, que ia gerindo a partida.

 Aos 85 minutos, Sílvio surgiu à entrada da área e rematou forte, com perigo, com a bola a sair por cima da baliza de Reina.
 Até ao final da partida, o Liverpool nem conseguiu assustar.
 O SC Braga alcançou um resultado histórico e parte agora para a segunda-mão, em Inglaterra, com o sonho de poder jogar os “quartos”, situação que seria inédita na história do clube. Tudo depende do segundo jogo.