Saldo deficitário para Portugal no comércio com a África do Sul

0
135
Basílio Horta

Basílio HortaAs trocas comerciais entre Portugal e a África do Sul apresentam um saldo deficitário para Portugal que se acentuou no último ano e que se situa na ordem dos 250 milhões de euros.

Segundo os últimos dados fornecidos pelo Instituto Nacional de Estatística, Portugal importou da África do Sul em 2008 mercadorias no valor de 333 milhões de euros, enquanto no ano anterior esse valor tinha sido de 271,5 milhões de euros. Por seu turno, Portugal exportou em 2008 para a África do Sul produtos no valor de 77,4 milhões de euros, montante inferior aos 87,7 milhões de euros registados em 2007.

Figuram na coluna das principais mercadorias exportadas por Portugal para estes país as obras de cortiça natural (8,5 milhões de euros), cortiça aglomerada (3,9 milhões de euros), fios e outros condutores, isolados para usos eléctricos, cabos e fibras ópticas (3,7), produtos de tabaco e sucedâneos manufacturados (3,6), óleos de pretróleo ou minerais betuminosos (2,9), charutos, cigarrilhas e cigarros (2,2), recipientes para gases comprimidos ou liquefeitos, de ferro fundido, ferro ou aço (1,9), pneumáticos novos, de borracha (1,9), partes e acessórios de veículos automóveis (1,8), máquinas e aparelhos de imp essão (1,8), assentos (1,7), cabos de filamentos sintéticos (1,6), cábreas, guindastes, pontes rolantes e pórticos de descarga (1,5), aparelhos para tratamento de matérias por meio de operações de mudança de temperatura (1,5), fibras sintéticas descontinuas (1,5), aparelhos para interrupção, seccionamento e protecção para tensão inferior a 1.000 volts (1 milhão de euros), chapas, folhas, película, tiras e lâminas de plástico (880 mil euros), conservas de peixe, caviar e ovas de peixe (856 mil euros), polímeros de cloreto de vinilo (755 mil euros), vinhos (700 mil euros), azeite de oliveira (661 mil euros).

Por seu turno, as hulhas constituem cerca de 40 por cento das exportações sul-africanas para Portugal e o seu valor foi em 2008 de 131,7 milhões de euros. Depois, por ordem de grandeza do valor exportado, vêm os centrifugadores, aparelhos para filtar ou depurar liquidos ou gases (75,3 milhões de euros), veículos automóveis para transporte de mercadorias (23,4 milhões de eruos), citrinos (8,9 milhões de euro ), peixes congelados (8,7 milhões de euros), automóveis de passageiros (8 milhões), uvas (5 milhões), maçãs, peras e marmelos (4,5), moluscos (4,4), filetes de peixe (3,3).

A seguir, surge uma série de artigos que cada um, individualmente, representam menos de um por cento do total das exportações sul-africanas para o mercado português.