Sabotagem de rede eléctrica pode privar Nacala de energia

0
142
Moçambique

MoçambiqueO fornecimento de energia eléctrica à cidade de Nacala, norte de Moçambique, está ameaçado, devido à sabotagem da linha por desconhecidos, que já causou prejuízos de 540 mil euros, informou a empresa Electricidade de Moçambique (EDM).

Segundo o chefe do gabinete de comunicação e imagem da EDM, Celestino Sitoe, 31 torres metálicas da linha de fornecimento de energia eléctrica a Nacala, a cidade mais industrializada do norte de Moçambique e onde se situa um dos maiores portos do país, foram vandalizadas nos últimos dois meses. Além de paralisar o funcionamento do Porto de Nacala, o corte no abastecimento de energia devido aos actos de sabotagem vai afectar também diversos empreendimentos industriais e casas, referiu Celestino Sitoe.

As exportações e importaçõesdo Malawi poderão também ser afectadas por um eventual corte no fornecimento de energia em Nacala, dado que o comércio internacional do país é maioritariamente feito através do Porto de Nacala. "A queda de uma torre metálica que tem em média 25 metros de altura implica a queda de outras tantas em cadeia, facto que vai implicar um forte investimento para reposição das mesmas e adicionalmente a interrupção no fornecimento de energia aos consumidores", enfatizou o chefe do gabinete de com nicação e imagem da EDM.

Apesar de os actos de sabotagem visarem cantoneiras e outros componentes metálicos, mais tarde vendidos a sucateiros, a EDM acusa os autores de agirem a mando de alguém com o intuito de inviabilizar o desenvolvimento económico de Nacala. Nacala tem conhecido desde o início deste ano uma situação política muito tensa por a Renamo, o principal partido da oposição moçambicana, que dirigiu o município de Nacala nos últimos cinco anos, considerar fraudulenta a derrota nas eleições municipais, ganhas pela Frelimo, partido no poder.

A circunstância de os autores da sabotagem ignorarem outra linha paralela à atacada reforça a ideia de que se pretende atrasar a economia de Nacala, afirmou o chefe do gabinete de comunicação e imagem da EDM "Os indivíduos envolvidos nos actos de sabotagem têm conhecimento e experiência  na área de electricidade e como tal usam equipamentos de corte de cantoneiras bastante sofisticados", sublinhou Celestino Cossa. A construção da linha que está a ser alvo de sabo agem custou cerca de nove milhões de euros.