RTP só garante “Contactos” até ao fim do ano

0
74
RTP

RTPA RTP garantiu que o programa Contacto, sobre comunidades portuguesas que passa na antena internacional, vai continuar a ser emitido até final do ano. “O programa Contacto não vai terminar, está assegurado até ao final do ano”, disse à agência Lusa fonte da RTP, admitindo que foram feitos “reajustamentos”.

 O Contacto é feito em vários países do mundo, foca as histórias das várias comunidades e pretende mostrar como vivem os portugueses no estrangeiro.

 De acordo com a fonte, os reajustamentos passam pela diminuição de 14 para 11 do número de programas. Entre os que desaparecem estão, por exemplo, o Contacto França, que irá integrar o Contacto Europa juntamente com o Luxemburgo, Suíça e Alemanha.
 O Contacto Europa “passa a ter uma vertente e um posicionamento em termos de an-tena muito mais focado nas comunidades tradicionais”, disse a mesma fonte.

 Foram ainda extintos o programa da Argentina, que vai ser integrado no do Brasil, e o de Goa, onde não existe uma comunidade portuguesa.
 A RTP respondia assim ao deputado do PS pela Emigração Paulo Pisco, que se mos-trou preocupado com o possível fim do programa Contacto e com o que apelidou de “distanciamento progressivo” da RTP Internacional em relação aos portugueses no es-trangeiro.
 “A RTPi tem vindo a distanciar-se progressivamente dos portugueses residentes no es-trangeiro no que toca à capacidade de atração da programação que lhes é dirigida. Prova empírica desse facto são as frequentes queixas de portugueses que vivem fora do país sobre a qualidade das emissões”, afirma o deputado no requerimento.

 A RTP rejeita as críticas do deputado e garante que a televisão pública tem vários ou-tros programas onde assegura a presença da emigração, dando como exemplo a série de reportagens “Os portugueses pelo Mundo”.
 “Nós vamos procurar as comunidades portuguesas com programas específicos. Não há desinvestimento. Há uma permanência do programa e há cada vez mais uma procura por parte da RTP dos portugueses espalhados pelo mundo”, sublinhou a fonte.