Rio Ave arranca precioso empate para jogo da segunda-mão

0
68
Rio Ave arranca precioso empate para jogo da segunda-mão

O Rio Ave foi  empatar a Braga, 0-0, na primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal de futebol, num jogo em que alinhou durante quase toda a segunda parte com menos um jogador.

O Rio Ave foi hoje empatar a Braga, 0-0, na primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal de futebol, num jogo em que alinhou durante quase toda a segunda parte com menos um jogador.

 Apesar disso, a equipa de Vila do Conde nunca se desorganizou e, à imagem do seu treinador, Nuno Espírito Santo, e ao contrário de Jorge Paixão, foi a mais tranquila em campo e podia mesmo ter vencido quando Pedro Santos rematou ao poste já em período de descontos (90+4).

 Foi a quarta partida entre as duas equipas nesta temporada, mas ainda não foi desta que os bracarenses conseguiram vencer os de Vila do Conde, que somam duas vitó-rias e dois empates, tendo realizado uma exibição muito pobre, sem ideias e quase sempre muito intranquilos, não tendo aproveitado minimamente o facto de ter jogado durante 45 minutos com mais um jogador (Ruben Ribeiro foi expulso aos 49 minutos).

 As equipas defrontaram-se há menos de uma semana (na sexta-feira, para a I Liga, 1-1), merecendo nota o regresso de Santos e Alan no Braga e seis alterações no "onze" vila-condense e com o médio ofensivo Braga a fazer de ponta-de-lança.

 Apesar de uma entrada forte no jogo, o Braga foi perdendo fulgor, percebendo-se a dificuldade dos jogadores do Braga em interpretar o 4x4x2 em losango que Jorge Paixão implementou na equipa, enquanto o Rio Ave se mostrou demasiado expectante.

 Aos 5 minutos, Alan ficou perto do golo quando cabe-ceou ligeiramente ao lado após canto de Pardo da esquerda e, aos 21, foi o Rio Ave a quase inaugurar o marcador: excelente jogada individual de Braga que, à saída de Eduardo rematou rasteiro, mas às malhas laterais.

 Aos 26 minutos, Rúben Micael surgiu solto na direita e cruzou para Rusescu, mas o avançado romeno chegou ligeiramente tarde à bola e não conseguiu o desvio com su-cesso.

 Ao intervalo entrou Piqueti para o lugar de Alan, mas foi o Rio Ave a primeira equipa a criar perigo com Rúben Ribeiro, com muito espaço na área, a rematar de primeira após centro de Ukra (47).

 No minuto seguinte, o mesmo jogador foi expulso, por ter visto o segundo cartão amarelo após uma entrada dura sobre Baiano na linha lateral, e os de Vila do Conde passaram a jogar com menos um jogador.

 O jogo passou a ter quase sentido único, mas o Braga tinha muitas dificuldades em criar perigo sem ser em lances de bola parada como quando, aos 55 minutos, Ukra impediu quase em cima da linha de golo que Santos marcasse após canto da esquerda.

 Jorge Paixão demorou 20 minutos após estar em vantagem numérica para reforçar o ataque, com a entrada de Erick Moreno para o lugar de Custódio, que saiu lesionado, tal como Nuno André Coelho, preocupações para o técnico para a recepção ao Benfica.

 Até ao final, o Braga apertou, teve vários cantos a favor em na sequência de um deles, Marcelo teve um corte providencial após remate de Ruben Micael que levava o ca-minho da baliza (88), mas seria o Rio Ave a ter a melhor ocasião, com Pedro Santos, jogador emprestado pelos minhotos, a rematar ao poste (90+4).