Resultado lisonjeiro para o Sporting penaliza o Rio Ave que tudo fez para vencer

0
147
Sporting

Sporting O Sporting ficou-se por um empate, sem golos, no reduto do Rio Ave, em partida, da 23.ª jornada da Liga de futebol, marcada pelo domínio dos vila-condenses.

 A equipa nortenha, que já não perde há cinco jogos, esteve sempre mais perto da vitória, perante um Sporting apático, sem soluções ofensivas e que nunca se revelou verdadeiramente perigoso para o Rio Ave.
 Os “leões”, que se podem dar por satisfeitos com o “pontinho”, mantêm-se no terceiro lugar do campeonato, enquanto que os vila-condenses seguem tranquilos no 11.º lu-gar, provisoriamente 11 pontos acima da “linha de água”.
 Os locais entraram com maior determinação e não demoraram a impor um ascendente, que logo aos dois minutos foi vincado com um bom remate de Bruno Gama.

 Os forasteiros, surpreendidos com o futebol directo dos vila-condenses, mostravam maior preocupação em suster as iniciativas contrárias do que em armar a resposta em contra-ataque.
 Deste modo, a toada dominadora do Rio Ave foi crescendo, com Bruno Gama a des-tacar-se como o elemento mais perigoso para defensiva “leonina”, gizando mais um par de remates que obrigaram Rui Patrício a defesas apertadas.
 Já sem Paulo Santos na baliza – saiu devido lesão -, o Sporting só esboçou o seu primeiro remate digno de registo em cima da meia hora, com um tiro de Valdés por cima.

 Esperava-se que iniciativa do chileno pudesse “mexer” com o futebol do conjunto de José Couceiro, mas a falta de soluções ofensivas dos “leões” precipitou que fossem os pupilos de Carlos Brito, até ao intervalo, a estarem mais perto de inaugurar o marcador.
 No regresso do descanso, a toada do jogo manteve-se, com um Rio Ave sempre mais ambicioso e voluntarioso no capítulo ofensivo e um Sporting, apático, à espera do erro do adversário.

 Com estes predicados, não surpreendeu que os lances de maior perigo continuassem a pertencer à turma da foz do Ave, que aos 65 minutos desperdiçou uma das melhores oportunidades, num remate de Braga, após passe de calcanhar de Bruno Gama, a sair muito perto do poste.
Do outro lado, só aos 81 minutos o Sporting criou o seu lance mais perigoso em todo o jogo, num cabeceamento de Polga, que um defensor do Rio Ave tirou em cima da linha.

 Nos instantes finais, o Rio Ave baixou as suas linhas e só assim o Sporting se acercou da baliza de Mário Felgueiras, embora sem argumentos para alterar o “nulo” final.