Republicano Devin Nunes defende mais cooperação entre Portugal e EUA na defesa

0
60
Republicano Devin Nunes defende mais cooperação entre Portugal e EUA na defesa

O congressista norte-americano Devin Nunes (republicano) defendeu em Lisboa o reforço da cooperação entre Portugal e os Estados Unidos, nomeadamente através de sinergias na marinha, insistindo na importância da base das Lajes no combate ao terrorismo.

 “Portugal é um dos nossos aliados mais antigos e eu sempre acreditei que se os Estados Unidos e Portugal se sentarem à mesa e forem honestos um com o outro – isso inclui nós sermos honestos com Portugal -, podemos desenvolver uma iniciativa e visão estratégica de longo prazo para a Defesa e esse é o objetivo”, referiu Devin Nunes, que integrou a equipa de transição do novo Presidente nor-te-americano, Donald Trump.

 Nunes participou em Lisboa num encontro de legisladores luso-americanos, promovido pela Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD), que contou com a participação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, com quem se reuniu.

 Questionado sobre o futuro da presença norte-americana na base das Lajes, nos Açores, Nunes respondeu: “O mais importante é que temos de garantir a segurança dos Estados Unidos da América, que trabalhamos com os nossos aliados e que poupamos dinheiro dos contribuintes norte-americanos. As Lajes fazem tudo isto”.

 Mas, acrescentou o congressista republicano, “também há outras oportunidades”.

 Nunes adiantou que vai conhecer “algumas capacidades militares de Portugal” para avaliar “como é possível reforçar esta relação, avançando em outras avenidas”.

 Instado a comentar qual é a posição de Donald Trump sobre as Lajes – para onde a anterior administração norte-americana anunciou uma redução do contingente militar -, Devin Nunes disse que o novo Presidente dos EUA “está muito empenhado em garantir que a NATO está forte e que todos estão a programar uma forma de atingir os 2%” (meta de contribuição de cada país, no valor de 2% do produto interno bruto).

 “As Lajes foram sempre importantes, mas tivémos um departamento de Defesa na administração anterior que era completamente inapta”, criticou.

 O líder norte-americano, acrescentou, está também “muito interessado em reforçar a marinha”.

 “Há algumas sinergias que podem funcionar entre Portugal e os EUA nessa matéria”, considerou.

 Sobre o papel da base militar nos Açores, Nunes apontou “os problemas com a Rússia, a China, o Estado Islâmico, a al-Qaeda”, pelo que a região do Atlântico, Mediterrâneo e África ocidental assumem maior importância.

 “São áreas onde as Lajes e Portugal são aliados muito, muito importantes para nós”, referiu.

 O congressista afirmou que “atualmente há mais comba-tentes do Estado Islâmico do que nunca”, quer no Médio Oriente quer na Europa.

 “Este problema não vai desaparecer e temos de trabalhar de perto com os nossos aliados”, sublinhou.

 Questionado para quando é expectável alguma decisão, comentou: “A burocracia move-se muito lentamente. A vantagem que temos com o Presidente Trump e a sua administração, o enfoque que ele coloca na NATO dá-nos uma nova oportunidade de fazer o que é certo”.

 Em tom humorístico, referiu: “Os Estados Unidos fazem sempre o que está certo depois de esgotarem todas as outras alternativas”.

 O Presidente português discursou no encontro, respondendo também a perguntas dos legisladores luso-americanos, numa sessão fechada à comunicação social.