Remessas de emigrantes portugueses nos PALOP caíram 5,6% para 15,7 milhões de euros

0
41

As remessas dos emigrantes portugueses a trabalhar nos PALOP caíram 5,6% para 15,7 milhões de euros, enquanto os imigrantes destes países enviaram 3,6 milhões, mostrando uma descida de 4,6% face a Janeiro de 2017.

 De acordo com os dados do Banco de Portugal, disponibilizados a terça-feira, as verbas enviadas em Janeiro pelos trabalhadores nacionais nos Países Africanos de Lín-gua Oficial Portuguesa passaram de 16,6 milhões de euros, em Janeiro de 2017, para 15,7 milhões, o que evidencia uma descida de 5,64%.

 Como tradicionalmente, Angola representa a maior parte das verbas, definindo a ten-dência do total dos PALOP. Assim, os portugueses a trabalhar nestes países envia-ram para Portugal 14,97 milhões de euros em Janeiro, o que representa uma descida de 6% face aos 15,93 enviados um ano antes.

 Em sentido inverso, os lusófonos africanos a trabalhar em Portugal enviaram para os seus países de origem um to-tal de 3,59 milhões de euros, o que revela uma subida de 4,6% face aos 3,43 milhões enviados em Janeiro do ano passado.

 

* Remessas mundias sobem 3%

 

 No total mundial, as remessas dos emigrantes subiram 3% em Janeiro face ao primeiro mês do ano passado, para 272 milhões de euros, enquanto as verbas enviadas pelos trabalhadores estrangeiros em Portugal aumentaram 2,3%, para 45,7 milhões.

 As verbas enviadas para Portugal pelos portugueses a trabalhar no estrangeiro passaram de 264 milhões, em Janeiro de 2017, para 271,9 milhões de euros no primeiro mês deste ano, o que representa uma subida de 3%.

Em sentido inverso, as verbas enviadas para os seus países de origem pelos estrangeiros a trabalhar em Portugal passaram de 44,7 milhões de euros em Janeiro de 2017 para 45,7 milhões de euros em Janeiro deste ano, mostrando um aumento de 2,3%.

 Os dados do Banco de Portu-gal mostram ainda que, como habitualmente, a França foi o maior mercado emissor de remessas para Portugal, com os portugueses emigrados a enviarem 81 milhões de euros, o que representa uma subida de 11,4% face aos 72,6 milhões enviados em Janeiro de 2017.