Rei zulu anuncia parceria com agricultores africanses contra a reforma agrária do Governo sul-africano

0
138

 O rei Zulu Goodwill Zwelithini anunciou um acordo de parceria com o grupo de lobby Afrikaner, AfriForum.

 O líder tradicional, que controla 90% das terras na província do KwaZulu-Natal, disse que a iniciativa visa “promover a agricultura e garantir a segurança alimentar no país”.

 O rei Zwelithini e a AfriForum opõem-se à política de expropriação de terras sem compensação financeira, anunciada pelo Presidente Cyril Ramaphosa e o ANC.

 “A nação Zulu não existirá se não tivermos comida. É por isso que digo que os agricultores devem aproximar-se para discutirem o que podemos fazer quando falamos sobre agricultura e a disponibilidade de comida suficiente na nossa terra”, referiu Zwelithini num discurso no penúltimo domingo por ocasião do Dia de Shaka.

 “É por isso que estou a pedir à AfriForum dos Boers para virem ajudar-nos, pois eles  vieram ter comigo e disseram que estão dispostos a trabalhar comigo e com o povo do do meu pai para melhorar a agricultura na nossa terra para termos comida”, afirmou.

Zwelithini disse que “quando o governo começou a falar sobre a expropriação de terras sem compensação, os Boers largaram as ferramentas. Não há comida na África do Sul”.

Segundo a imprensa local, o monarca Zulu está a usar a questão da terra para influenciar o eleitorado e enviar uma mensagem ao governo, a meses das eleições gerais no país.

 “Eu enviei-vos em Julho e disse: vão e orem para que todos aqueles que estão contra vocês e eu, sobre a posse da terra, Deus os obrigue a lutar sozinhos. E mesmo agora, estou a enviar-vos para irem e orar antes das eleições do próximo ano”, disse o monarca perante centenas de súbditos zulus.

 “Qualquer um que queira ser eleito por nós, deve ajoelhar-se aqui e prometer que eu nunca tocarei na vossa terra”, adiantou.

 O rei Zwelithini disse que continua à espera de uma reunião com o Presidente Cyril Ramaphosa para finalizar a sua discussão sobre a posse de terra e a gestão do Ingonyama Trust.