Primeiro convívio de 2016 da Academia-Mãe acolhe dois novos compadres

0
53
Primeiro convívio de 2016 da Academia-Mãe acolhe dois novos compadres

O primeiro convívio do ano novo da Academia do Bacalhau de Joanesburgo teve lugar na quinta-feira 7 de Ja-neiro de 2016. O salão do primeiro andar do restaurante “Adega” em Bedfordview, recebeu cerca de trinta compadres neste primeiro almoço, ainda sem o actual presidente da Academia-Mãe, José Contente.

 Nesta edição da tertúlia, assistiu-se à entrega de dois novos certificados de compadre, a Albino do Espírito Santo Oliveira e a Bento Pereira de Sousa. Devido à ainda ausência em férias por parte de José Contente, o almoço foi presidido por Ivo de Sousa, que fez soar o badalo às 13h15 para se iniciarem os procedimentos.

 O brinde “Gavião de Penacho” foi cantado cujo tom foi dado pela comadre “Milita” Vieira-Pereira e o presidente em exercício, nomeou para “carrasco” da tarde, o compadre honorário João Carreira.

 Após as entradas que foram salada de orelha de porco, moelas guisadas e peixinhos da horta, a sopa foi servida. Para a mesa foi trazido o tradicional caldo-verde e após este primeiro prato, Ivo de Sousa voltou a fazer soar o badalo para apresentar o seu convidado, Bento de Sousa. Na sua intervenção, sobre Bento de Sousa afirmou que “tinha uma loja, a qual geriu por cinquenta anos. Agora reformou-se e tem mais tempo para vir à Academia do Ba-calhau”.

 De notar que entre o primeiro prato e o principal, o bacalhau houve uma demora de trinta minutos, com alguns compadres a gracejarem sobre “onde teriam ido pescar o bacalhau?” Ivo de Sousa aproveitou esse interregno na refeição e após apresentar o seu convidado, pediu a Lucy de Pontes, esposa do falecido Francisco de Pontes, fundador da banda “Estrelas da Madeira”. Na sua intervenção, Lucy de Pontes agradeceu o apoio dado pela Academia do Bacalhau e apelou a nova ajuda, “tenho agora várias contas de médicos e hospitais para pagar e não tenho dinheiro que chegue” afirmou a viúva.

 Em seguida Ivo de Sousa pe-diu ao compadre para apresentar os seis convidados que levou ao convívio. Foram eles, Pedro Marques, Richard Marques, Byron Sutherland, Aldónio Rodrigues, Afonso Ferreira e Eugénia Ferreira.

 Tocou também a vez a Byron Sutherland que em inglês afirmou “acho fantástico esta tertúlia. É fabuloso aquilo que fazem em manter viva a cultura e costumes portugueses, penso que a sociedade sul-africana pode aprender muito de vós”, afirmou o convidado do almoço.

 O presidente em exercício pediu ainda ao compadre Alexandre Madeira que comentasse sobre a sua estadia em Portugal. O compadre Madeira afirmou que “só há uma coisa a dizer, aqui está muito calor com 38ºC e lá, quando saí da cidade da Guarda estava -1ºC.” “Mas é fantástico e está-se tão bem lá em Portugal”, terminou com um rasgado sorriso o compadre Madeira.

 Ainda sem o prato do “fiel amigo” servido, Ivo de Sousa pediu ao compadre José Luís Rodrigues para relatar aos presentes a situação das obras do Lar Rainha Santa Isabel.

 O compadre afirmou que “as obras estão terminadas, agora restam apenas alguns retoques finais, mas o Frail Care já está a funcionar e em pleno. Devo acrescentar que já está cheio, as camas estão todas ocupadas e tenho que dizer que talvez mais cedo do que pensamos, temos que passar para uma segunda fase de expansão da Enfermaria. Está a ser muito, muito procurada e não temos resposta, porque como disse, está cheia já.”

 O compadre Rodrigues terminou a sua intervenção ao agradecer ao compadre Marcelino pelos 15 rump steaks, para se fazerem as espetadas, que conseguiu de graça para o Magusto 2015 do Lar Rainha Santa Isabel.

 Finalmente, após trinta minutos, o prato principal foi servido, bacalhau confeccionado cozido acompanhado de grão de bico e batata cozida. Compadre Bento agradeceu.

 Terminado o prato principal que dá o nome à tertúlia, Ivo de Sousa voltou a soar o ba-dalo. Desta feita para entregar os certificados de compadre aos dois novos membros da Academia-Mãe do Bacalhau.

 O novo compadre Bento, na sua intervenção afirmou que “compadres, há vários anos que oiço falar nesta tertúlia e agora faço parte. É com todo prazer que sou aceite e que aqui estou entre vós.”

 Após várias anedotas contadas por inúmeros compadres e comadres, a palavra final foi dada ao “carrasco”, compadre honorário João Carreira. Durante a sua sentença, afirmou que o compadre Paulo Mariano apesar de estar ainda ausente a gozar férias, enviou uma mensagem a oferer uma garrafa de Whisky para ser saboreada por todos os compadres e comadres neste primeiro almoço do ano.

 As multas foram distribuídas e o convívio foi encerrado com o entoar do refrão da Marcha da Academia e o brinde final do “Gavião de Penacho”. Alguns compadres, como habitual, ficaram em conversa e a jogar à sueca pela tarde adentro.