Primeira prova oficial da época: FC Porto conquista 20.ª Supertaça ao bater Vitória

0
110
Primeira prova oficial da época: FC Porto conquista 20.ª Supertaça ao bater Vitória de Guimarães por 3-0

Mais uma Supertaça (a 20.ª), mais uma conquista a abrir a temporada e eis o arranque do tricampeão nacional de futebol FC Porto, que não sentiu grandes dificuldades para vencer o Vitória de Guimarães por 3-0.

 A 35.ª edição do troféu que homenageia Cândido de Oliveira, figura ímpar do des-porto português, teve, além de ter sido uma boa partida de futebol – apesar de desequilibrada -, a honra de ter sido disputada num ambiente sensacional em Aveiro, graças aos cânticos constantes dos adeptos das duas equipas.

 Licá, o colombiano Jackson Martinez e o argentino Lucho González "assinaram" os golos portistas, todos no primeiro tempo, mas nem por isso os restantes 45 minutos foram um desperdício de tempo.

 De realçar o facto de este ser o primeiro título de Paulo Fonseca, novo treinador dos portistas, que substituiu o bicampeão Vítor Pereira.

 A história da partida resume-se à intensidade do futebol portista, com muita posse de bola e rapidez nos lances de ataque, e à eficácia dos tricampeões nacionais nos mo-mentos de decisão.

 Para isso contribuiu um posicionamento mais avançado do meio-campo portista, facilitado pelo facto de os vimaranenses terem optado por uma estratégia muito defensiva – os médios André André e Moreno jogaram quase en-costados aos centrais -, da qual não se conseguiram libertar nunca, nem mesmo a perder por 2-0 já à passagem do primeiro quarto de hora.

 Ao contrário, com os extremos e laterais sempre em grande rotação ofensiva, o FC Porto "manipulou" como bem entendeu um conjunto cuja única táctica ofensiva passou pelos passes longos para o seu trio de atacantes: Barrientos, Marco Matias e Tomané.

 Os golos dos "dragões" apareceram, por isso, cedo e com naturalidade. Decorriam os primeiros cinco minutos quando Lucho González conseguiu fugir pela direita e centrou para o interior da área, onde Licá apareceu mais rápido que a defesa adversária e "encostou" para o primeiro golo oficial da temporada.

 Aos 17 minutos, coroando a intensidade imposta pelos "dragões", Varela conseguiu centrar do mesmo lado e Jackson Martinez "facturou" o segundo golo portista, com um desvio de cabeça.

 A um minuto do intervalo, Fucile protagonizou uma jogada de insistência no mesmo corredor, o cruzamento saiu enviesado, Douglas não conseguiu afastar a bola e Lucho González rematou "de primeira" para o terceiro tento portista.

 Rui Vitória trocou, ao intervalo, Crivellaro e Tomané por Leonel Olímpio e o reforço Maazou, este um possante ponta-de-lança do Níger, numa tentativa de refrescar o ataque, o que conseguiu, pois os centrais portistas foram obrigados a mais trabalho do que no primeiro tempo.

 Com o jogo "amornado", os portistas foram gerindo a vantagem, sempre com o "olho" na baliza de Douglas, nomeadamente quando Jackson Martinez, aos 73 minutos, empolgou a bancada portista, com um pontapé de bicicleta, que saiu ao lado.