Presidente sul-africano destaca “relação muito especial e histórica” com Angola

0
202

 O Presidente Cyril Ramaphosa disse na sexta-feira, em Luanda, que a África do Sul e Angola desfrutam de uma “relação muito especial e histórica”, no final de uma curta visita de trabalho que efectuou à capital angolana a convite do seu homólogo, João Lourenço, na qualidade de presidente da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), a sua primeira visita oficial ao exterior desde que substituiu Jacob Zuma no cargo.

 Em declarações aos jornalistas no final da deslocação de quatro horas, já no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, Cyril Ramaphosa disse que a visita a Luanda “foi o primeiro destino escolhido devido à relação muito especial e histórica que une angolanos e sul-africanos, desde a luta pela libertação contra o apartheid”.

 “Angola contribuiu muito e consentiu muitos sacrifícios para que a África do Sul fosse livre”, afirmou Ramaphosa que classificou de “muito positivo” o encontro que manteve com o Presidente João Lourenço no Palácio da Cidade Alta.

 “O encontro foi muito positivo na medida em que foram debatidos assuntos que preocupam os dois países e a região. Abordamos a cooperação bilateral e a segurança na região da SADC, órgão a que a África do Sul preside e em que Angola também é presidente ao orgão de segurança”, afirmou.

 O Chefe de Estado sul-africano adiantou que a situação na República Democrática do Congo, na República Centro Africana e no Lesoto, estiveram na agenda do encontro estando os dois países envolvidos com “muita dedicação” nestes processos.

 Referiu que em matéria de cooperação bilateral, “conversámos como reforçar os nossos esforços de cooperação por forma a que as empresas sul-africanas possam alargar as suas operações e um passo muito positivo nesse sentido foi já dado recentemente com a abolição de vistos”.

 Angola e África do Sul são as maiores economias e potências militares na Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC). Além da integração económica, preservação da paz, segurança e estabilidade na região, os dois países têm como instrumentos jurídicos de trabalho, entre outros, um Acordo Geral de Cooperação Económica, Científica e Técnico-Cultural, assinado em Abril de 1998, e o Acordo para o Estabelecimento da Comissão de Co-operação Bilateral, rubricado em Novembro de 2000.

 Durante a sua breve estada em Luanda, Ramahosa foi recebido e acompanhado pelo ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, o governador de Luanda, Adriano Mendes de Carvalho, e diplomatas dos dois países.

 A delegação presidencial sul-africana integrou a ministra das Relações Internacionais e Cooperação, Lindiwe Sisulu, e a ministra da Defesa e Antigos Combatentes, Nosiviwe Mapisa-Nqakula.

 Esta é a primeira visita oficial de Cyril Ramaphosa desde que foi eleito Presidente da República, pelo Parlamento da África do Sul, a 15 de Fevereiro deste ano, em substituição de Jacob Zuma, que foi demitido pelo partido no poder.