Presidente Ramaphosa inaugura maior fábrica de comboios do continente num investimento de mais de 51 biliões de randes

0
25

 O Presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, inaugurou quinta-feira, nos arredores de Joanesburgo, a maior fábrica de comboios de África, construída pelo grupo francês Alstom, que realizou o maior contrato da sua história.

 Instalada em Dunnottar, a nova fábrica destina-se a fabricar 580 comboios, e o primeiro deverá ficar concluído em finais deste ano, para operarem nos arredores de Joanesburgo.

 Em Abril de 2014, a agência pública dos transportes de passageiros de África do Sul, Prasa encomendou à Alstom 600 comboios, composições com seis carruagens, um contrato de 3,1 biliões de euros, (51,4 biliões de randes) a que se junta a manutenção do material circulante durante nove anos.

 “A África do Sul pode agora produzir comboios ultramodernos e tornar-se no centro de excelência ferroviária da Alstom em África”, disse Didier Pfleger, vice-presidente da empresa francesa para África.

 Esta fábrica, que deverá empregar 1.500 pessoas quando estiver totalmente operacional, “permite responder ao mais importante desafio da África do Sul: o desemprego, particularmente entre os jovens”, afirmou Ramaphosa.

 A África do Sul, a maior potência industrial do continente africano, debate-se com um desemprego recorde de 28%.

 “Serão novos empregos numa indústria que é relativamente recente no nosso país e que tem um grande potencial de crescimento”, disse o chefe de Estado.

 A abertura da fábrica ocorre num momento crucial para a África do Sul, a atravessar uma recessão económica, o que levou o Ramaphosa, no poder desde Fevereiro deste ano, a relançar a economia do país.

 Os comboios que a fábrica de Dunnottar vai construir permitirão modificar a organização dos transportes públicos em funcionamento desde a época do ‘apartheid’, abolido em 1994.

 Segundo o Governo, a Prasa encomendou igualmente um conjunto de locomotivas a Es-panha que se encontram ainda paradas naquele país europeu.