Presidente moçambicano propõe encontro com líder da Renamo

0
36
Presidente moçambicano propõe encontro com líder da Renamo

O Presidente de Moçambique, Armando Guebuza, propôs um encontro com o líder da Renamo, Afonso Dhlakama, esta semana na capital moçambicana, Maputo, convite ao qual o presidente da maior força política da oposição responderá na quarta-feira.

 O conselheiro e porta-voz da Presidência moçambicana, Edson Macuácua, disse ontem aos jornalistas que “Armando Guebuza está disposto a manter um encontro com o dirigente da Renamo, na próxima semana, na cidade de Maputo”, impondo como condição a desmilitarização do movimento.

 Desde dezembro, o Governo e a Renamo tentam alcançar sem consenso em torno da legislação eleitoral aprovada no Parlamento pela Frelimo, partido no poder, mas, nos últimos dias, as diferenças agudizaram a tensão entre as partes com emboscadas contra viaturas na Estrada Nacional 1 (EN1), no troço Muxúnguè-Save, e na Linha Férrea de Sena, no centro de Moçambique, atribuídas à oposição.

 Mas, em contacto com a Lusa, o porta-voz da Renamo, Fernando Mazanga, disse que Afonso Dhlakama só vai dizer se aceita o encontro em Ma-puto na próxima quarta-feira, em conferência de imprensa a realizar em Santujira, localizado na Serra de Gorongosa, na província de Sofala, onde reside desde o ano passado.

 De acordo com o porta-voz da presidência moçambicana, Armando Guebuza mandatou a delegação do governo, chefiada pelo ministro da Agricultura, José Pacheco, para criar condições que resultem na realização deste encontro ao mais alto nível.

 A agenda das conversações será fixada pelas delegações do Governo e da Renamo que voltam a reunir-se hoje,  segunda-feira, contudo, o exe-cutivo anunciou um ponto prévio para o próximo encontro: a desmilitarização da Renamo.

 “O Governo vai apresentar no encontro de segunda-feira um ponto prévio que tem a ver com a desmilitarização da Renamo, para que este movimento se conforme com o quadro de um Estado de direito democrático que regula as actividades dos partidos políticos no país”, disse Edson Macuácua.

Na sexta-feira, líderes religiosos defenderam um encontro entre o chefe de Estado moçambicano e o líder da Rena-mo, numa audiência com Armando Guebuza.

 Anteriormente, na terça feira, Dia da Independência de Moçambique, Armando Guebuza disse que “nunca” recusou falar com o presidente da Renamo, para ultrapassar o clima de insegurança que se vive no país, mas reconheceu a “complexidade do diálogo”.