Presidente da República agradece contributo de Cristiano Ronaldo na projecção de Portugal

0
55
Presidente da República agradece contributo de Cristiano Ronaldo na projecção de Portugal

O Presidente da República agradeceu na segunda-feira a Cristiano Ronaldo o contributo que tem dado na projecção do nome de Portugal, sublinhando que o futebolista é “um jogador único no mundo”.

 “Cristiano Ronaldo, agradeço-lhe o contributo que tem dado à selecção nacional, agradeço-lhe o contributo que tem dado para a difusão do nome de Portugal no mundo, agradeço-lhe aquilo que representa para os portugueses, as alegrias que lhes tem trazido”, afirmou o Chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, na cerimónia de condecoração do futebolista com o grau de Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.

 Sublinhando o rigor e profissionalismo que Cristiano Ronaldo alia a “um talento indiscutível”, Cavaco Silva disse ser a combinação entre “trabalho, disciplina, determinação e vontade de vencer” que faz do futebolista “um jogador único no mundo”.

 

* Ronaldo diz que condecoração lhe dá “motivação para trabalhar mais e melhor”

          

 O futebolista internacional português Cristiano Ronaldo disse que a condecoração lhe dá “motivação para trabalhar mais e melhor” no sentido de “representar Portugal ao mais alto nível”.

 Num curto discurso após a cerimónia, que se realizou no Palácio de Belém, em Lisboa, Ronaldo disse ter vivido “um momento de grande orgulho” quando recebeu a condecoração do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, que justificou a decisão pelo contributo que Ronaldo tem tido na projecção internacional de Portugal.

 “Obviamente é um momento especial para mim e para todos os portugueses também. Estou extremamente contente e espero continuar a minha caminhada até ao final da carreira alcançando grandes troféus e grandes êxitos, a nível pessoal e colectivo e em no-me de Portugal também”, disse.

 O avançado do Real Madrid mostrou a Cavaco Silva a Bola de Ouro de 2013, distinção atribuída ao melhor futebolista mundial do ano e que tinha conquistado pela 1.ª vez em 2008.

Entre os convidados que assistiram à cerimónia estiveram o presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes, o presidente do Real Madrid, Florentino Perez, o empresário do joga-dor, Jorge Mendes, o ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, Marques Guedes, o vice-presidente do Governo Regional da Madeira, João Cunha e Silva, o embaixador de Espanha em Portugal, Eduardo Junco, a chanceler das Ordens Nacionais Manuela Ferreira Leite.

 Da parte do Sporting, clube por onde Cristiano Ronaldo passou, estiveram presentes vários dirigentes, entre os quais o presidente do clube, Bruno Carvalho, e o treinador, Leonardo Jardim.

           

* Melhor que tudo seria o título no Mundial2014

 

 O futebolista internacional português Cristiano Ronaldo admitiu que a conquista do título no Mundial2014 seria “ainda melhor” do que a re-cente vitória na Bola de Ouro de 2013 e a condecoração que recebeu do Presidente da República.

 “Isso era um sonho. Acho que era ainda melhor do que ter ganhado – não minimizando os troféus que ganhei hoje e a Bola de Ouro -, mas acho que seria o culminar uma grande carreira ganhar algo com a selecção. É isso que mais ambiciono”, disse Ronaldo, depois de ter sido condecorado.

 O avançado do Real Madrid reconheceu que a conquista do título no Campeonato do Mundo, no Brasil, será uma “tarefa difícil”, mas prometeu “dar o melhor”, pois pretende, “um dia, ser campeão mundial ou europeu por Portugal”.

Ronaldo reafirmou que a condecoração que recebeu do Presidente da República lhe dá “motivação para continuar o trabalho”, por considerar que falta muito tempo para acabar a carreira de futebolista e ainda esperar conquistar mais troféus tanto a nível individual como coletivo.

 “Isto é o que mais gosto de fazer. Isto é a minha vida, a minha profissão e a minha paixão. O que mais quero é jogar mais alguns anos futebol, porque acho que ainda sou muito jovem (…) e encaro o futebol como algo para me divertir. Se conseguir ganhar troféus colectivos e individuais tanto melhor, para criar uma página bonita na minha história no futebol”, assinalou.

 Para o presidente da Fede-ração Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, a distinção atribuída por Cavaco Silva “representa a expressão máxima daquilo que Cristiano Ronaldo tem feito ao longo dos anos em que tem representado a selecção portuguesa, um pouco como embaixador de Portugal em todo o Mundo”.

 Fernando Gomes destacou o “carácter”, a “dedicação” e o “profissionalismo” do avançado, que constituem um exemplo tanto para os colegas de equipa como para os “imensos jovens que querem fazer do futebol a sua actividade no futuro”.

 Tal como o “capitão” da selecção lusa, Fernando Gomes “sonha” com título mundial e, apesar de ter reafirmado que o primeiro objectivo no Mundial2014 passa pela qualificação para oitavos de final, deixou uma certeza: “Se essa oportunidade surgir não a enjeitaremos e faremos tudo ao nosso alcance para a agarrar”.

 

* Cristiano Ronaldo sente-se “mais compreendido” e revela lado mais humano

          

 O futebolista português Cristiano Ronaldo disse sentir-se “mais compreendido” pelas pessoas e revelou, em entrevista publicada pela revista France Football, “não ser perfeito” precisamente por “ser humano, de carne e osso”.

 O avançado da selecção portuguesa e do Real Madrid assumiu a sua faceta mais hmana nas declarações prestadas ao periódico francês: “Choro, rio, tenho os meus problemas. Sempre que disse algo inconveniente, pedi desculpa. Aprendi com o tempo e com os meus erros”.

 “Tenho a impressão que o público me compreende melhor, que dá conta de que trabalho muito. Prefiro que falem do que se passa em campo do que fora”, afirmou Cristiano Ronaldo.

 A entrevista surgiu na sequência da conquista da Bola de Ouro 2013, prémio entregue pela FIFA em parceria com a France Football, e nela explica que tem uma vida “bastante rotineira”, evitando os lugares públicos para proteger a sua família.

 “Trabalho de manhã, descanso à tarde e deito-me o mais cedo possível para estar bem no dia seguinte”, disse Ronaldo, enquanto contou que leva o seu filho à escola, antes das sessões de treino em Madrid, e que almoça com a mãe antes da sesta.

 Passeia pela capital espanhola, está a tirar um curso de inglês, ouve música e gosta de nadar, são outras “confissões” expressas, numa publicação em que afirmou que as lágrimas na cerimónia de entrega da Bola de Ouro “foram sinceras, fruto da emoção”.

 Ronaldo reconheceu dar muita importância ao título conquistado, mas que o mais importante são os troféus colectivos que espera ganhar: “Se não mo tivessem dado, continuaria a ser o mesmo”.

 Estar no topo, entre os melhores, nos últimos anos é “uma prova de profissionalismo, trabalho e competitividade”, assegurou, prometendo “não adormecer sobre os louros”.

 “Quero mais, pelo Real Madrid e por Portugal. A Bola de Ouro não é um fim, apesar de todos os jogadores sonharem obtê-la”, concluiu o jogador, que na segunda-feira recebeu o título de Grande-Oficial da Ordem do Infante, das mãos do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva.