Presidente Cavaco Silva presidiu à abertura dos Jogos de Lusofonia

0
6
Presidente Cavaco Silva presidiu à abertura dos Jogos de Lusofonia

Presidente Cavaco Silva presidiu à abertura dos Jogos de LusofoniaO Presidente da República Cavaco Silva presidiu à cerimónia de abertura dos Jogos da Lusofonia, no sábado, no Pavilhão Atlântico, e declarou aberta a segunda edição do maior evento multidesportivo jamais realizado em Portugal, com a presença de 1.300 atletas e oficiais.

Cavaco Silva, durante a sua curta intervenção disse que a segunda edição dos Jogos da Lusofonia, com a participação de oito países de expressão portuguesa e quatro nações convidadas, “celebram a universalidade da língua portuguesa”. Antes da intervenção do chefe de Estado, o presidente do Comité Olímpico de Portugal e da Associação dos Comités Olímpicos de Língua Oficial Portuguesa, Vicente de Moura, sublinhou que “a competição multidesportiva olímpica constitui um marco histórico nos anais da lusofonia e do movimento olímpico”.

“Estes Jogos da Lusofonia são uma afirmação da capacidade organizativa de Portugal e a confirmação da vitalidade do associativismo e, mais importante, o laço de união que constitui a língua”, afirmou. A cerimónia de abertura decorreu durante cerca de hora e meia, iniciada por um espectáculo em que se simbolizou o mar, a língua e a diversidade de culturas.

Depois do desfile das comitivas (os voleibolistas João Brenha e Miguel Maia foram os porta-bandeiras de Portugal), o atleta olímpic  Nelson Évora transportou a tocha a representar a chama olímpica, após o que os cantores Kátia Guerreiro e Olavo Bilac interpretaram o hino oficial, acompanhados do coro de Santo Amaro de Oeiras. A segunda edição dos Jogos da Lusofonia decorrem nos concelhos de Lisboa, Almada, Amadora, Sintra e Oeiras, com a presença de mais de um milhar de atletas, repartidos pelas modalidades de atletismo, basquetebol, desporto para deficientes, futebol, futsal, judo, taekwondo, ténis de mesa e voleibol.

Portugal acolhe 11 países nesta iniciativa, com o lema “A união é mais forte que a vitória”: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Índia, Macau (China), Moçambique, São Tomé e Princípe, Sri Lanka e Timor- Leste.