Preocupado com a subida de mortos: Gauteng prepara cemitérios para as vítimas de covid-19

0
130

Como os casos de vítimas de covid-19 aumentam exponencialmente em Gauteng, os cemitérios em toda a província estão se a preparar para qualquer eventualidade.

  Dr. Bandile Masuku, responsável pela pasta da Saúde em Gauteng, visitou na quarta-feira o cemitério de Honingnestkrans, norte de Pretória, para avaliar o estado de prontidão caso o local do enterro seja necessário.

  Os cemitérios em torno de Gauteng começaram a preparar sepulturas e avaliar sua capacidade, visando prever qualquer resultado, já que os ca-sos de covid-19 na província aumentam acentuadamente.

  O chefe de operações da cidade de Tshwane, James Murphy, disse a Masuku que o cemitério de Honingnestkrans tem espaço para 24 mil sepulturas únicas no terreno de 30 hectares.

  Murphy explicou ainda que as campas individuais estavam a ser marcadas e desenterradas, mas que, se surgisse a necessidade, também seriam criadas valas comuns.

* Tshwane tem 14 locais de exéquias disponíveis, com capacidade  para cerca de 250 000 campas

  Enquanto Murphy dava informações a Masuku sobre os números, no fundo, uma escavadeira já estava a trabalhar, abrindo campas de um metro e meio de profundidade.

  O MEC de Gauteng disse que era um assunto desconfortável, mas que o Departamento de Saúde da província precisava de avaliar o estado de prontidão dos cemitérios.

  “Tivemos que lidar com o infeliz e desconfortável assunto da morte e também ver a nossa preparação como uma província para ver como poderemos atender a uma situação em que teremos muitas pessoas a perder a vida, em pouco tempo”, explicou Masuku.

  “Iremos a outros locais da província para ga-rantir que essa parte do sistema de saúde esteja pronta para qualquer eventualidade”.

  Olhando para possíveis números de mortalidade, Masuku disse que estava a trabalhar no pressuposto de que 1% dos seis milhões de pessoas poderão estar infectados na província, o que equivaleria a 60.000 mortes relacionadas com a pandemia em Gauteng.

  “Estamos a trabalhar em torno desses números e é para isso que estamos preparados. Não estamos aqui para entrar em pânico, mas também para verificar do nosso lado que a logística está em vigor”.

  A preparação dos cemitérios também leva em conta as mortes de não-covid-19 que normalmente seriam registadas ao longo do ano.

  “O covid-19 adicionou um dado a esses números”, apontou Masuku.

  No mesmo dia (quarta-feira) Gauteng registava um total de 71 488 casos confirmados, com 21 414 recuperações. Por três dias consecutivos, Gauteng contava com o maior número de mortes de todas as nove províncias do país

  Na quinta-feira, em um comunicado, o departamento disse que queria esclarecer a confusão sobre o número de sepulturas cavadas para as mortes esperadas do covid-19, acto que as populações conseram desconfortável.

  “A província ainda não possui mais de um milhão de sepulturas cavadas, as mais de um milhão se referem à capacidade colectiva que os municípios podem suportar”, dizia o comunicado.

  “O Departamento provincial continua a melhorar e aumentar a infraestrutura e a capacidade de recursos humanos do sistema de saúde para lidar com a crescente pressão da pandemia de covid-19”, dizia o comunicado.

  “Entendemos que o assunto da morte é um assunto desconfortável para se envolver, no entanto, garantir que haja espaço, enterro adequado na província, infelizmente, faz parte da realidade que o governo deve enfrentar na batalha contra o covid-19”, lê-se no comunicado.

  Segundo os dados disponíveis pelo Ministério da Saúde sul-africano, o país regista até hoje segunda-feira, um total de xxxxx, vítimas mortais, xxx casos activos e xxx recuperados.

* Premier David Makhura testou positivo

  O premier de Gauteng, David Makhura, testou positivo na quinta-feira ao covid-19, num momento em que sete funcionários da Câmara de Ekurhuleni deram igualmente positivo. O presidente do município local, Mzwandile Masina, deu negativo.

  Makhura é o terceiro premier a ter resultados positivos, depois de seus colegas do Noroeste e do Cabo Ocidental, Job Mokgoro e Alan Winde, terem contraído o vírus.

  “Na quarta-feira, 8 de Julho de 2020, tive alguns sintomas leves. Na quinta-feira, 9 de Julho de 2020, decidi fazer uma quarentena e testar o covid-19 como medida de precaução. Sexta-fei-ra, 10 de Julho de 2020, recebi os meus resultados a confirmar que testei positivo ao covid-19”, disse Makhura em comunicado tornado público na sexta-feira.

  Makhura está agora em isolamento e já come-çou a trabalhar de casa, devendo cumprir 14 dias enquanto monitora a sua saúde.

  “Como tenho apenas sintomas leves, continuarei a assegurar que o conselho executivo da prvíncia e o conselho de comando do coronavírus da província respondam adequadamente para enfrentar a tempestade da pandemia, a fim de salvar mais vidas”, afirmou.

  O premier também apelou aos moradores de Gauteng para continuarem a desempenhar o seu papel, observando as regras de lavar as mãos regularmente, usar máscaras e praticar distanciamento físico.

Eduardo Ouana