Português José Hermenegildo Rodrigues está desaparecido em circunstâncias misteriosas em Joanesburgo

0
76
José Hermenegildo Rodrigues

José Hermenegildo RodriguesEncontra-se desaparecido desde o dia 2 de Maio corrente o português José Hermenegildo Rodrigues, mais conhecido por “Jorge” na área de Bertrams, Bez Valley e Bruma Lake.

 Não se sabe do seu paradeiro, portanto há 21 dias. A Reportagem do “Século” contactou com Maria Madalena da Silva, em cuja casa, na Canarvon Road, em Bertrams, vivia num quarto alugado.
 “O Jorge saiu, como habitualmente logo de manhã, ia ao supermercado aqui à frente da casa para adquirir bolos ou ao ‘bottle store’ para comprar cerveja” – disse a senhoria, na altura ao lado do seu companheiro Júlio.

 Levou o repórter a ver o quarto onde vivia o “Jorge”, que estava completamente vazio e pintado de novo.
 “O Jorge já tinha 85 anos, por isso achei preferível retirar a sua cama, fogão e roupas, que entreguei ao seu amigo Carlos, que tem um bar-restaurante distante três quarteirões, onde ele todos os dias ia comer”, adiantou.
 Mostrou-nos uma caixa que tem ferramentas e aguarda que o desaparecido entretanto volte a casa.

 Nessa altura, o nosso Jornal ouviu o empregado doméstico moçambicano Manuel Baptista, natural de Maputo, a quem “Jorge” pediu para abrir o segundo portão para sair. Observe-se que os inquilinos usam a entrada principal e o corredor adjacente para che-garem aos seus quartos.
 Quando a Reportagem do Século falou com o industrial Carlos, este confirmou  estar preocupado com o paradeiro do “Jorge”, a quem, por duas vezes, teve de chamar a ambulância para o levar ao Hospital Geral de Joanesburgo, onde ficou internado durante alguns dias devido a inflamação de rins, de que fi-cou curado.

 Ele bebia todos os dias as suas catembes e o seu amigo Carlos muitas vezes oferecia-lhe a refeição já que o “Jorge”, naquela ida-de avançada fumava muito e bebia sem nada comer, além dos bolos que era o seu matabicho.

 O empregado doméstico Manuel Baptista disse também ao “Século” que uns rapazitos mistos que vivem num edifício de apartamentos próximo algumas vezes cercavam o “Jorge”, dois segurando-lhe os braços e os outros revistando-lhe os bolsos, retirando-lhe as moedas que tinha.
 Uma vez Manuel Baptista interferiu na altura em que os miúdos, depois de es-vaziar o “Jorge” dos trocados que tinha atiraram-no ao chão antes de se porem em fuga.

 Quando o “Jorge” não voltou na segunda-feira 2 de Maio (feriado), Manuel Baptista foi à procura dele e rondou o edifício dos meninos mistos, mas estes não o tinham visto nesse dia. Quem souber do seu paradeiro, agradece-se contactar o telefone 011 496 1650, Redacção do “Século de Joanesburgo”.