Portugal sai da lista de interditados de entrar na África do Sul

0
190

O governo sul-africano através do Ministério da Administração Interna (Department of Home Affairs) publicou na segunda-feira 19 de Outubro ao final do dia, a revisão da lista de países interditados de entrar na África do Sul.

  Portugal fez parte da lista de países interditados de entrar na África do Sul, quando o país reabriu as fronteiras internacionais a partir do dia 1 de Outubro 2020, com o fim do confinamento para combater o coronavírus.

  A lista era composta por 57 países de todo o Mundo devido ao número de casos activos de Covid-19. A lista é composta agora por 22 nações.

  Num comunicado, o Home Affairs informou que “continuamos a ter consciência de que a pandemia de Covid-19 continua connosco e necessitamos de tomar todas as precauções para a combater. Na última reunião entre o ministro da Saúde, Home Affairs e do Turismo reviram a lista de países interditados e foi feita de forma a equilibrar a necessidade de salvar vidas e salvar sustentos”, lê-se no comunicado.

  O departamento também afirmou que nada se altera no que respeita aos viajantes do continente africano. “Pessoas que podem entrar na África do Sul são empresários, pessoas com visto de habilidades e conhecimentos necessários para o país, investidores e de pessoas com missões internacionais no desporto, cultura, artes e ciência”, adianta o comunicado.

  “A isso, adicionamos o facto de haver pessoas que vêm à África do Sul por três meses passar o Verão enquanto o Inverno europeu”, acrescenta-se. Todos os viajantes são obrigados a mostrar um exame negativo à Covid-19.

  A lista de 22 países interditos de entrar na África do Sul:

  Argentina, Alemanha, Peru, Bangladesh, India, Filipinas, Bélgica, Indonésia, Rússia, Brasil, Irão, Espanha, Canadá, Iraque, Reino Unido, Chile, Itália, Estados Unidos da América, Colômbia, México, França e Holanda.