Portugal continua a liderar investimento em Moçambique

0
69
Portugal continua a liderar investimento em Moçambique

Portugal continua a liderar investimento em MoçambiqueOs investimentos portugueses em Moçambique caíram 71 por cento em 2010, apesar de Portugal ter sido o principal investidor estrangeiro no país, indicou a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

 Dados divulgados pela agência portuguesa em Maputo referem que, em 2010, os investimentos portugueses atingiram 45,9 milhões de euros, contra os 161,8 milhões de euros registados em 2009, “uma diminuição acentuada” de 71 por cento.
 Os principais sectores de concentração deste investimento foram o da construção e o das actividades financeiras e de seguros, que levaram 84 por cento do total investido.

 Contudo, as exportações de Portugal para Moçambique cresceram “25 por cento em 2010, passando de 120,9 milhões de euros para 151 milhões de euros, apesar de a um ritmo ligeiramente mais baixo do que o registado em 2009, que atingiu 32 por cento”.
 Mas as importações também “se comportaram de forma diversa do que em 2009: quando havia indícios de haver um crescimento das compras a Moçambique (o crescimento em 2009 tinha sido de 27 por cento), 2010 registou uma quebra significativa”, apontou a Agência portuguesa.
 De resto, no ano passado, as importações foram “menos 32 por cento, passando de 42,8 milhões de euros para 29,2 milhões de euros. O principal produto responsável por essa quebra foi o açúcar”, acrescentou.

 Apesar disso, Portugal continuará a estar entre os dez principais clientes de Moçambique, depois de em 2009 ter ocupado o nono lugar.
 “Portugal reforçou a sua posição como fornecedor de Moçambique, passando de 9º para 5º principal fornecedor”, garantiu a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, a propósito da exposição de produtos e serviços de empresas portuguesas, que decorreu em Maputo.
 Por outro lado, “do ponto de vista de Portugal, Moçambique manteve mais ou menos a mesma posição enquanto cliente (destino de exportações portuguesas”, descendo de 28º lugar, em 2009, para 29º, em 2010 no ranking dos principais compradores.

 “Do lado das nossas importações, o peso de Moçambique continua reduzido”, tendo caído de 59ª para a 66ª posição, apontou.
 “Apesar das nossas exportações para Moçambique continuarem a ser maioritariamente de baixa ou médiabaixa intensidade tecnológica, a intensidade tecnológica tem vindo a aumentar ao longo dos últimos anos (os graus de alta e média-alta intensidade representam já, em 2010, 49 por cento”, sublinhou.

 Segundo a agência portuguesa, os principais grupos de produtos são máquinas e aparelhos, metais comuns e pasta celulósicas e papel, enquanto, em termos de produtos, os livros, os cabos eléctricos e os aparelhos eléctricos para telefonia continuam a ser os mais significativos.
 “Do lado das nossas importações, é em 99 por cento de baixa intensidade, já que 91 por cento são produtos agrícolas e alimentares (designadamente) açúcar e crustáceos”, referiu.