Polémica sobre TGV sem impacto nas relações comerciais entre Portugal e Espanha

0
94
TGV

TGVO presidente da Câmara de Comércio e Indústria Luso-Espanhola considerou que a polémica à volta da ligação entre Portugal e Espanha por TGV “não vai ter impacto nas relações comerciais entre os dois países”.

“Então as pessoas vão deixar de comprar ou vender produtos só por haver ou não haver TGV? É claro que não tem impacto”, garante Enrique Santos, acrescentando que “toda a questão é um tiro no pé” das relações entre os dois países. No debate, a presidente do PSD, Manuela Ferreira Leite, garantiu que suspenderia o projecto se vencesse as próximas eleições legislativas, perante as críticas do actual primeiro-ministro ao anúncio da suspensão da medida.

O assunto ganhou repercussão política e ainda hoje está a marcar a agenda dos partidos em campanha eleitoral. As ligações ferroviárias entre os dois países não são, no entanto, o único tema que liga os dois países da Península Ibérica. Na energia, por exemplo,o Mercado Ibérico de Electricidade está já criado, mas não tem ainda a abrangência desejada por ambos os países. No caso do gás, o mercado ibérico ainda está em discussão, não existindo. Nas águas, a ligação é também fundamental e está sempre presente nas cimeiras que juntam regularmente os dois países, até pel  existência partilhada de cinco bacias hidrográficas.

O mesmo acontece com as pescas, área em que, aliás, está em vigor um acordo assinado em 2003 e que vigora até 2013. Espanha é o maior importador de produtos portugueses, representando mais de 25 por cento de todas as exportações nacionais. No último ano, apesar de uma quebra de mais de 20 por cento nos fluxos comerciais entre os dois países, de 10,8 mil milhões para 8,4 mil milhões de euros de Janeiro a Maio deste ano, o panorama não deverá, no futuro, ser diferente.

Segundo dados da Câmara do Comércio e Indústria Luso- Espanhola, nos primeiros cinco meses deste ano, as compras portuguesas a Espanha ficaram-se por um volume mensal médio de 1.100 milhões de euros, contra 1.400 milhões em 2008, enquanto as exportações se fixaram nos 570 milhões de euros mensais, contra 800 milhões no ano passado. Globalmente, os fluxos comerciais somaram 8.466 milhões de euros, menos 22 por cento do que os 10.877 milhões de euros de 2008.