Passos Coelho reeleito presidente do PSD com 95% dos votos

0
72
Passos Coelho reeleito presidente do PSD com 95% dos votos

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, foi reeleito  sábado por mais dois anos líder dos sociais-democratas com 95% dos votos, a maior votação em qualquer eleição com candidato único no partido, anunciou o presidente do Conselho de Jurisdição.

 O presidente do PSD defendeu que os 100 dias do Governo foram dominados por preocupações populistas e que nunca foram tão claras as diferenças entre projectos políticos, reclamando para os sociais-democratas pensamento estratégico e reformista.

 "O país conhece hoje dois projectos muito diferentes. Aquele que completa hoje 100 dias é um projecto a pensar no passado, na reversão, no andar para trás, nas preocupações mais de natureza imediata, inquestionavelmente mais dominado por preocupações mais populistas do que propriamente a pensar estra-tegicamente no país", afirmou Pedro Passos Coelho.

 Após votar para as eleições directas para a liderança do PSD, às quais foi o único candidato, Passos Coelho sublinhou que os sociais-democratas representam "rigorosamente o oposto" e "nunca as coisas foram tão claras, tão diferentes, tão evidentes, como são hoje".

 Após conquistar uns inéditos 95% dos votos, o líder do partido garantiu que o PSD estará "coeso" no objectivo de apresentar aos portugueses uma "alternativa" ao actual governo.

 Entre 22.161 votantes – bastante mais do que na última eleição, em que tinham parti-cipado cerca de 17 mil militantes – obteve 95% dos votos. A maior votação de sempre nu-ma eleição do partido, sendo que em 2014 Passos tinha conquistado 88% dos votos.

 Na sua intervenção, em que começou por relembrar que o partido que lidera "venceu as últimas eleições legislativas", Passos assumiu a actual condição de "principal partido da oposição", prometendo preparar bem os dois momentos eleitorais que os sociais-democratas enfrentarão no seu mandato: "As eleições regionais dos Açores, já no segundo semestre deste ano, e as eleições autárquicas de 2017".