Passos anuncia visita a Timor e novo programa de cooperacção militar

0
37
Passos anuncia visita a Timor e novo programa de cooperacção militar

O primeiro-ministro de Portugal, Pedro Passos Coelho, anunciou que tenciona visitar Timor-Leste este ano, por ocasião da Cimeira da CPLP, e que os governos português e timorense assinaram a semana passada um novo programa de cooperação militar.

 Depois de ter recebido o primeiro-ministro timorense, Xanana Gusmão, na residência oficial de São Bento, em Lisboa, Passos Coelho reiterou o apoio de Portugal à entrada de Timor-Leste na ASEAN, associação de nações do sudeste asiático, considerando que isso será benéfico para os empresários de todo o espaço lusófono.

 Com Xanana Gusmão ao seu lado, o chefe do executivo PSD/CDS-PP elogiou-o pelo “papel extraordinário” desempenhado na construção da nação de Timor-Leste, que considerou ter sido “capaz de mostrar a todo o mundo que é hoje uma nação bem-sucedida na experiência democrática que encetou”.

 Numa declaração aos jornalistas, após a qual não respondeu a perguntas, Passos Coelho qualificou “de elevado nível e de excelência” as relações entre Portugal e Timor-Leste e manifestou empenho “no reforço da grande ami-zade e fraternidade” que liga os povos dos dois países.

 “Eu próprio tenho a intenção este ano de participar na cimeira da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) que terá lugar justamente em Díli, em data que ainda não está definitivamen-te acordada”, afirmou, em seguida.

 “Terei a possibilidade de concretizar uma visita também de caráter bilateral, que será a primeira que um primeiro-ministro português fará a Timor-Leste. E, portanto, transmiti já ao senhor primeiro-ministro a honra que tenho em concretizar essa visita, na sequência do convite que ele próprio me endereçou para esse efeito”, acrescentou.

 Passos Coelho referiu que, a pedido do primeiro-ministro timorense, o Governo português nomeou um representante diplomático para integrar a comissão de preparação desta Cimeira da CPLP, assinalando que vai ser a primeira realizada na Ásia.

 No seu entender, esse vai ser “um evento de enorme simbolismo” para os países lusófonos e uma oportunidade para a comunidade internacional “testemunhar a credibilidade e a maturidade político-diplomática de Timor-Leste”.

 “Nós temos um orgulho muito grande em poder estar ao la-do do povo timorense nestas diferentes fases da sua história mais recente”, declarou o chefe do Governo português.

 No que respeita à cooperação bilateral, Passos Coelho adiantou que o primeiro-ministro timorense, “que acumula também a pasta da Defesa em Timor-Leste”, reuniu-se com o ministro português da Defesa Nacional, José Pedro Aguiar-Branco, e que os dois governos assinaram um “programa-quadro de cooperação técnico-militar que compreenderá os anos de 2014 a 2016”.

 Segundo o primeiro-ministro português, os dois governos também vão “intensificar” a cooperação nas áreas da segurança e justiça e “muito proximamente” deverão “assinar um protocolo de cooperação em matérias de águas, saneamentos, drenagem e gestão de resíduos sólidos”, quando o ministro timorense das Obras Públicas visitar Portugal.

 Passos Coelho disse ainda que “Portugal reitera a sua disponibilidade para continuar a apoiar a prossecução de objectivos definidos pelo Governo de Timor-Leste em matéria de aprendizagem e disseminação do português, com particular atenção para as gerações mais jovens”.

 A este encontro entre os chefes dos governos de Portugal e de Timor-Leste seguiu-se um almoço em São Bento, no qual estavam previstas as presenças, do lado português, dos ministros de Estado e dos Negócios Estrangeiros, da Defesa Nacional, da Administração Interna, da Justiça, e também do antigo ministro dos Negócios Estrangeiros e actual presidente do Banif Luís Amado – de acordo com o gabinete do primeiro-ministro português, na qualidade de consultor de Xanana Gusmão para a presidência da CPLP.

 

* Acordo técnico-militar entre Portugal e Timor-Leste aposta no apoio à componente naval

 

 O primeiro-ministro de Timor-Leste e o ministro da Defesa Nacional, José Pedro Aguiar-Branco, assinaram na quarta-feira um acordo de cooperação técnico-militar que dá

prioridade à componente naval e de estratégia de vigilância e segurança marítima.

 O protocolo prevê uma “aposta prioritária na componente naval, na importância que tem o mar para Timor-Leste e para Portugal e no desenvolvimento de uma estratégia de vigilância e segurança marítima que se deseja reforçado”, disse José Pedro Aguiar-Branco.

 O ministro português da Defesa Nacional falava em conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro timorense, Xanana Gusmão, após a assinatura do acordo para 2014/2016, numa cerimónia no Forte de S. Julião da Barra, Oeiras.

 “Mesmo nas alturas críticas que Portugal sofreu nestes últimos anos em que esteve sob o programa de ajustamento, não deixou de cumprir e honrar com o mesmo nível de investimento a sua aposta estratégica em Timor-Leste”, sublinhou Aguiar-Branco.

 Por seu lado, Xanana Gusmão destacou o apoio dado por Portugal no âmbito dos acordos de cooperação técnico-militar (desde 2002) que contribuiu para “formar e capacitar Forças Armadas”.