Paróquia de Fátima no Panamá espera imagem peregrina e prepara comemoração de centenário

0
55
Paróquia de Fátima no Panamá espera imagem peregrina e prepara comemoração de centenário

Na periferia da Cidade do Panamá, no bairro El Chorrillo, a paróquia Nuestra Señora de Fátima prepara as comemorações do centenário da devoção das aparições na vila portuguesa, em 1917, e espera a chegada da imagem peregrina.

 

 Para as comemorações, no próximo mês de Maio, a paróquia espera reunir pelo menos 500 pessoas, que lotam a igreja, mas já pensa no uso do estádio do Maracanã local, que tem capacidade para quatro mil pessoas, segundo o plano pastoral para 2017.

 A imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima, que saiu de Portugal e atualmente está na América Latina, tem chegada prevista à paróquia panamiana em outubro.

 Com 21 mil habitantes, El Chorrillo é uma das 13 subdivisões administrativas da capital do Panamá, um bairro afastado dos altos e luxuosos edifícios que dão à Cidade do Panamá o apelido de "Dubai das Américas".

 A primeira capela dedicada a Nossa Senhora de Fátima no bairro data de 1954, segundo o assistente paroquial e director do coro, Carlos Vegas. "A devoção vem pela reza do rosário, fomos ensinados desde crianças a rezar o Pai Nosso e a Ave Maria, e Fátima é a Virgem associada ao rosário", disse.

 A catequista Mara Berta Alonso, 55 anos, contou que conheceu a devoção à Virgem por meio de sua avó. "Eu tinha quatro ou cinco anos, morávamos no campo, e, todas as manhãs, a avó nos despertava para rezar para a Ela", disse.

 O embaixador português no Panamá, Pedro Pessoa e Costa, afirmou que, em conjunto com a paróquia, está a tentar atrair jovens voluntários portugueses ajudarem a lançar um projecto dirigido a mulheres jovens, para incentivar à criação de pequenos negócios, de forma autossustentável.

 "A Paróquia situa-se num bairro carenciado, mas tem um trabalho social e educativo excecional. Isto por si só já merece apoio, nem que seja em "tempo" para as atividades que desenvolvem. Todos os portugueses no Panamá podem fazer algo pela paró-quia", afirmou o embaixador.