Óscar Pistorius acusado de ter assassinado a namorada, a modelo Reeva Stemkamp

0
65
Óscar Pistorius acusado de ter assassinado a namorada, a modelo Reeva Stemkamp

O campeão olímpico e paralímpico sul-africano Oscar Pistorius está detido na Es-quadra Policial de Brooklyn, em Pretória, acusado de ter alegadamente assassinado a sua namorada Reeva Steemkamp na madrugada de quinta-feira, Valentine’s Day (Dia dos Namorados).

 Na sua edição de domingo, o semanário “City Press” revela a sequência de eventos com base em fontes ligadas à investigação oficial: Reeva Stemkamp pernoitou com Oscar Pistorius na sua mansão em Silver Woods Estate. Vizinhos chamaram a Polícia às 1.30 horas devido ao barulho que vinha da casa do corredor. Às 3.20 horas foram disparados tiros na casa do atleta e um dos vizinhos chamou a Polícia. Minutos depois, o desportista fez uma chamada ao seu pai, pedindo-lhe que viesse ter consigo à sua casa. Às 3.30 horas, Pistorius senior e sua filha Aimee chegaram ao local da tragédia. Óscar disse à sua irmã que tinha cometido um terrível erro tendo alvejado Reeva confundindo-a com um intruso. Paramédicos que vieram ao local tentaram ressuscitar a vítima, mas Reeva perdeu a vida no átrio da casa. Pelas 8.30 horas uma viatura policial deixa a mansão de Silver Woods Estate transportando o cadáver.

 Às 12 horas e 19 minutos Óscar chega ao Mamelodi Hospital, onde são feitos testes de sangue para verificação de drogas e esteróides. Às três da tarde, o atleta dá entrada na Esquadra de Polícia de Boschkop, onde pernoita.

 No dia seguinte, sexta-feira 15 de Fevereiro, o réu apresenta-se no Pretoria Magistrate’s Court com os seus advogados e familiares.

 Às 10.45 horas chega ao Tribunal o delegado do Ministério Público, Gerrie Nel. No banco dos arguidos, Óscar chora convulsivamente várias vezes quando o tribunal refere ao incidente como homicídio.

O juiz Desmond Nair adia o caso para terça-feira (amanhã) e manda a Polícia deter o alegado asassino na Esquadra Policial de Brooklyn.

 A família Pistorius emite um comunicado às 16 horas onde nega que Óscar tenha morto Reeva.

 A Polícia Sul-Africana confirma que, depois de Reeva e Óscar terem dormido na mes-ma cama, o atleta, portador legal de uma pistola 9mm, teria feito o primeiro disparo contra a vítima, já esta em pé, atingindo-a na bacia. Reeva, ferida, refugiou-se na casa de banho. O desportista alvejou a porta fechada da casa de banho, cujos projécteis perfuraram a madeira e atingiram Reeva na cabeça, braço e mão. Tudo leva a crer que a vítima, em desespero, teria posto as mãos na testa, o que explica como ficou ferida numa das mãos.

 Óscar desce a escada do seu quarto no primeiro andar para o rés-do-chão com o corpo ensanguentado da namorada.

 Por sua vez, o semanário “Sunday Times”, na sua edição de ontem publica a manchete “As grandes armas de Óscar – peritos de topo vão defender o atleta da acusação de assassínio”.

 O ST indica que a equipa legal é de “pesos pesados” que inclui o médico patologista Dr. Reggie Perumal, que assistiu à autópsia feita ao cadáver de Veera Stemkamp pelo patologista forense Professor Gert Saayman na sexta-feira passada.

 Também foi contratado o especialista de relações públicas (“spin doctor”) e antigo editor do tablóide britânico “The Sun”, Stuart Higgins, que se encontrou no sábado com a equipa gestora de Pistorius incumbida de lidar com os órgãos de comunicação social, In-Site Athlete Management.

 O advogado de defesa de Óscar é Kenny Oldwadge, um dos mais experientes consultores jurídicos que se ocupa de casos criminais como o de Lolly Jackson, o dono dos cabarés “Teazers”, e de Sizwe Mankazana, o motorista implicado no acidente em que perdeu a vida a bisneta do Presidente Nelson Mandela, Zenani.

 A equipa legal de Pistorius solicitou ao juiz – que autorizou -, para que o réu fosse transferido para a Esquadra Policial de Brooklyn em vez de ficar na Prisão Central de Pretória, uma cadeia  de máxima segurança onde  estão os marginais que cometeram os “crimes mais hediondos”, enquanto o réu aguarda resolução sobre o pedido de fiança que vai ser apresentado amanhã ao tribunal.

A vítima estudou Direito e pretendia ser advogada antes da sua carreira de modelo ter sido lançada com êxito. Numa última e singela homenagem a televisão SABC divulgou na noite de sábado um episódio da série “Tropika Island of Treasures”, na qual uma das figurantes é Veera Stemkamp, série que foi totalmente filmada na Jamaica.

 O juiz Desmond Nair recusou todos os pedidos de transmissão directa do julgamento à rádio e televisão, tendo, devido a limitação de espaço autorizado que haja uma “pool” de fotógrafos da APF/Agência France Press, Reuters, eNCA e AP/Associated Press no interior do tribunal.

 O magistrado considerou que a média poderá transmitir em directo o veridicto final, tendo igualmente autorizado que fosse compilada uma lista de operadores de câmara para o efeito.