Observatório europeu, que agrega Portugal, vai construir o maior telescópio óptico do Mundo

0
147
Observatório europeu, que agrega Portugal, vai construir o maior telescópio óptico do Mundo

O Observatório Europeu do Sul, do qual Portugal é membro, vai construir no Chile o maior telescópio óptico/infra-vermelho do Mundo, depois de o Conselho da instituição ter aprovado o projecto em Garching, na Alemanha.

 O arranque do projecto European Extremely Large Telescope (E-ELT), ainda em fase embrionária, foi aprovado por dois terços dos países-membros da organização, ou seja, dez, o mínimo necessário.
 Áustria, República Checa, Alemanha, Holanda, Suécia e Suíça votaram directamente a favor, enquanto Bélgica, Finlândia, Itália e Reino Unido votaram por delegação, “ad referendum” (os votos favoráveis estão sujeitos a confirmação das autoridades do respectivo Estado-membro antes da próxima reunião do Conselho do Observatório).
 Os restantes quatro membros da organização, incluindo Portugal, “estão a trabalhar activamente para se juntarem” ao projecto “num futuro próximo”, assinala em comunicado o Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês), com sede na Alemanha.
 No Conselho do Observatório, órgão governativo, Portugal está representado pela astrónoma Teresa Lago.
 O “maior olho no céu do Mundo” vai ter um espelho segmentado, que está a ser testado, de 39,3 metros de diâmetro e ficará localizado em Cerro Armazones, no norte do Chile, próximo do Observatório do Paranal, também do ESO.
 Os trabalhos preliminares do projecto, orçado em mil milhões de euros, poderão começar ainda este ano, com a construção da estrada de acesso ao topo do Cerro Armazones.
 O Observatório Europeu do Sul, que comemora 50 anos em 2012, é considerado “a mais importante” organização europeia intergovernamental para a investigação em astronomia e o observatório astronómico “mais produtivo do Mundo”.
 A organização é financiada por 15 países (14 europeus, incluindo Portugal, e Brasil) e mantém atualmente em funcionamento no Chile três observatórios “de ponta”: La Silla, Paranal e Chajnantor.