Nulo frente Kieve dá passaporte ao Sp. Braga para meia-final

0
138
Nulo frente Kieve dá passaporte ao Sp. Braga para meia-final

Nulo frente Kieve dá passaporte ao Sp. Braga para meia-finalCom menos uma unidade durante quase uma hora, mas com uma atitude guerreira in-superável, o Sporting de Braga qualificou-se  para as meias-finais da Liga Europa de futebol, ao empatar 0-0 com o Dínamo de Kiev.

 A equipa comandada por Domingos Paciência, que tinha empatado a um golo na primeira mão, volta a fazer história no clube com a qualificação para uma meia-final de uma competição europeia e agora vai defrontar, também numa meia-final inédita, o Benfica, que ultrapassou o PSV Eindhoven.
 Jogando com 10 desde os 29 minutos, por expulsão de Paulo César, o Sporting de Braga fez valer a sua solidez defensiva e inexcedível entreajuda entre os jogadores, o que lhe permite que em oito jogos na Europa (Liga dos Campeões e Liga Europa) só tenha sofrido golos em casa por uma ocasião, diante do Shakhtar (3-0).

 Por causa dos castigos de Miguel Garcia e Kaká, o técnico foi obrigado a mexer na equipa, colocando Paulo César no lado direito da defesa, Vandinho no eixo defensivo e Meyong como pivot ofensivo.
 O primeiro grande momento de perigo surgiu aos 14 minutos e para os visitantes, com um remate muito perigoso de Yarmolenko, que saiu a rasar o poste direito da baliza defendida por Artur Moraes.
 A resposta bracarense deu-se com um “tiro” de Hugo Viana do meio da rua, que o ve-terano Shovkovskiy defendeu com dificuldade e a dois tempos (17).

 O Dínamo de Kiev teve nova oportunidade, mas Yarmolenko, sem oposição na área, ca-beceou sem convicção (25).
 Pouco depois (29), Paulo César viu o cartão vermelho direto após uma entrada muito dura – e despropositada – sobre Yarmolenko, obrigando Leandro Salino a descer para defesa direito.
 Aos 43 minutos, contudo, Meyong ficou muito perto de marcar e levar o Braga em vantagem para o intervalo, mas rematou contra o guarda-redes contrário.
 A segunda parte começou com uma excelente oportunidade para a equipa da casa marcar, mas Lima, após excelente iniciativa individual, “disparou” contra Shovkovskiy.

 Nos primeiros minutos da etapa complementar, o Dínamo de Kiev procurava lançar-se para o ataque, mas fazia-o de forma desorganizada e por vezes sôfrega, não aproveitando a vantagem numérica.

 Kravets obrigou Artur Moraes a defesa apertada (61), depois de um centro de Popov, mas foi o Braga a desperdiçar, pouco depois (64), nova grande oportunidade: excelente triangulação entre Hugo Viana e Lima, com o ponta de lança a rematar cruzado um pouco ao lado.
 O Braga controlava o jogo e o Dínamo de Kiev só voltou a assustar quando Sílvio cortou providencialmente um centro venenoso de Yarmolenko, que Milevskiy se preparava para empurrar para dentro da baliza (77).