Nordeste Transmontano vira-se para o turismo russo

0
56
Nordeste Transmontano vira-se para o turismo russo

O mais recente projecto de promoção do Nordeste Transmontano, o ‘Try Nordestin’, vai marcar presença numa das maiores feiras de turismo da Europa, a Intourmarket, que decorre de 15 a 18 de março, em Moscovo, na Rússia.

 A plataforma digital que reúne os principais motivos turísticos desta região foi lançada pela Corane, a Associação para o Desenvolvimento dos Municípios da Raia Nordestina, e será “a única presença portuguesa” neste evento internacional, segundo divulgou a promotora.

 A Intourmarket – Feira Inter-nacional de Viagens e Turis-mo contará com 1.400 expositores de 143 países e espera mais de 85 mil visitantes e 320 jornalistas acreditados.

 De acordo com a coordenadora da Corane, Luísa Pires, esta presença na Feira valeu também ao ‘Try Nordestin’ o convite para conceder uma entrevista de 15 minutos ao canal televisivo russo Travel Guide TV, com transmissão internacional.

 A Corane conta com um novo parceiro no projeto e nesta deslocação à Rússia, a congénere Desteque – Associação de Desenvolvimento da Terra Quente Transmontana.

 A coordenadora desta associação, Aurora Ribeiro, destaca a importância de promover “o enorme potencial turístico” do Nordeste Transmontano “nos mercados tradicionais, mas também nos mercados emissores atractivos e emergentes, e a Rússia é um deles” com um “nicho de visitante que se adequa a este território”.

 Durante os quatro dias de presença na Rússia, serão mostrados conteúdos e informação de toda a região transmontana”, adiantou Luísa Pi-res.

 O objectivo desta participação é também, segundo as responsáveis, distribuir material informativo pelos grandes grupos, agências de viagens, profissionais de turismo, jornalistas, ‘bloggers’, “procurando despertar-lhes o interesse para que o Nordeste de Portugal possa integra os pacotes que comercializam”.

 O propósito da Plataforma de Gestão de Destino Turístico ‘Try Nordestin’ é organizar a oferta existente na região e criar ferramentas para que os artesãos, os apicultores, os produtores de fumeiro e outros pequenos empresários, entre outros, possam dar a conhecer o que fazem. Ao projecto associou-se a restauração, o alojamento, o património, os equipamentos culturais, os espaços de lazer e as salas de congressos.