Noite sem sobressaltos para o Benfica ante o Vitória de Guimarães

0
56
Noite sem sobressaltos para o Benfica ante o Vitória de Guimarães

O Benfica teve uma noite fácil na recepção ao Vitória de Guimarães, vencendo por 3-0 na 8.ª jornada da I Liga de futebol e ganhando ânimo para o pró-ximo jogo da Liga dos Campeões, contra o Spartak de Moscovo.

 A equipa da Luz marcou o 2-0 em excelente momento, logo no início da segunda parte e, assim, jogou quase 45 minutos sem grande pressão e com evidente ³espírito lúdico² na manobra ofensiva.
 Com esta vitória, a quarta consecutiva na Liga, o Benfica respondeu bem ao sucesso do FC Porto na véspera, bem como à vitória do Sporting de Braga. Com oito rondas jogadas, a luta continua a três, no campeonato luso.
 A confirmar as mais recentes
opções de Jorge Jesus, Luisinho ficou com a zona esquerda da defesa ­ Melgarejo nem foi ao banco ­ e Ola John um pouco mais à frente do mesmo flanco.
 Ola John esteve na jogada do 1-0, fazendo, aos 37 minutos o centro bem medido a que Oscar Cardozo respondeu com o cabeceamento para golo. Sem marcação, o para-guaio nem saltou, limitando-se a fazer a rotação de cabeça e alterar a trajectória da bola.
 Bom jogo de Ola John, mas também de Luisinho, um dos dois portugueses a titular. O outro foi Carlos Martins, que saiu exausto a um minuto do intervalo, com entrada de André Gomes.
 Começou mais forte o Benfica, mas a meio do primeiro tempo perdeu fôlego e balanceamento, enquanto o Vitória de Guimarães equilibrava, mas sem dar real réplica ­ o seu primeiro remate foi aos 19 minutos.
 O golo aos 37 minutos acalmou um pouco o Benfica, que passou a jogar sem qualquer ³stress² a partir dos 47 minutos, quando Cardozo fez o 2-0, de grande penalidade, alcançando o seus sexto golo no campeonato.
 A jogada que originou o penálti foi confusa, com o árbitro João Ferreira a entender que Addy carregou Sálvio.
 Muito activo e sempre em movimento, Lima teve o seu prémio aos 67 minutos, com o 3-0 para a equipa ³encarnada². O brasileiro entrou pela esquerda, assistido por Car-dozo, e rematou forte e colocado.
 Aos 79 percebeu-se que o resultado não devia sofrer mais alterações, já que André Gomes viu o cartão vermelho, por entrada dura sobre Leonel Olímpio, deixando o Benfica em inferioridade numérica para os últimos dez minutos.
 Já não havia grande coisa a fazer, por parte dos vitorianos, resignados na derrota. Bons especialistas no contra-ataque, não conseguiram acertar o passo nesse campo, apesar de alguns bons apontamentos de Toscano (aos 33
minutos) e João Ribeiro, so-bretudo.
 Nem se deu por o Benfica ter um jogador a menos – terminou a jogar com pressão alta, ao som dos "olés" dos mais de 30 mil adeptos, que prometem voltar para a festa na próxima quarta-feira, contra o Spartak.