Nem a banda de música faltou à chegada do olímpico Fernando Pimenta a Ponte de Lima

0
115
Nem a banda de música faltou à chegada do olímpico Fernando Pimenta a Ponte de Lima

Uma banda de música, um coreto improvisado para discursos e um autocarro descapotável para que Fernando Pimenta saudasse os milhares de pessoas que o esperavam na sua terra natal, em Ponte de Lima.

 “Vamos prestar homenagem ao nosso grande campeão”, anunciava, minutos antes da chegada ao centro de Ponte de Lima, o “speaker” de serviço, perante milhares de pessoas que uma hora antes já esperavam o canoísta Fernando Pimenta, um dos elementos do K2 1.000 metros que venceu a medalha de prata nos Jogos Olímpicos.
 “É uma coisa única, hoje sei o que sente um jogador de futebol. Esta recepção é muito me-lhor do que receber a medalha”, admitiu Fernando Pimenta, durante a sua volta de ‘consagração’ pelas ruas do centro histórico da vila minhota.
 Num percurso de poucos quilómetros que demorou mais de 30 minutos a completar, Fernando Pimenta perdeu a conta a quantas vezes cantou os parabéns, precisamente no dia em que completou 23 anos.
 “Herói? Não, esses já morreram todos e eu sou apenas um atleta que luta pela minha terra e pelo meu país”, confessou, por entre os constantes saltos desafiados pelas dezenas de amigos e familiares que seguiam no mesmo autocarro.
 Pelo meio, de medalha de prata ao pescoço, mostrando-a todos os que assistiam ao desfile improvisado, Fernando Pimenta esboçava um sorriso, na frente do autocarro, conseguindo sempre aguentar as lágrimas.
“Estou feliz, o que posso dizer mais?”, desabafava.
 Ao seu lado seguia o treinador de sempre, Hélio Lucas.
 “Não esperávamos este apoio, esta moldura humana. Não fazia ideia que fosse assim, mas o Fernando merece tudo isto e muito mais. Mas por favor ajudem-nos a dar condições para ele treinar”, apontava, visivelmente emocionado.
 À espera, na praça central de Ponte de Lima, a banda de música da vila animava a concentração de milhares de pessoas que esperavam o atleta.
 A recepção foi feita em êxtase, já depois das 22:00.
 “Fernando Pimenta é uma figura que incontornavelmente vai ficar na história de Ponte de Lima. É o orgulho de todos os limianos e esta recepção é à altura de um grande cidadão desta terra”, afirmou Victor Mendes, o presidente da Câmara.
A autarquia fez questão de receber o atleta em festa, tendo distribuído, pelos populares, 5.000 “bandeirinhas” com as cores nacionais, para saudar o conterrâneo.
 Fernando Pimenta, de 23 anos, é natural e vive na freguesia limiana de Ribeira, praticando a canoagem desde 2001, com as cores do Clube Náutico de Ponte de Lima.
 Juntamente com o colega Emanuel Silva, o canoísta limiano conquistou, nos 1.000 metros K2, a única medalha olímpica de Portugal nos Jogos Olímpicos Londres-2012.
 “Tenho o maior orgulho em dizer que sou de Ponte de Lima. Esta medalha é minha e vossa também”, afirmou Pimenta, no momento de se dirigir aos milhares que não se cansavam de gritar pelo seu nome.
 “Sei que o nosso país atravessa um momento difícil. Mas só posso dizer uma coisa: não desistam dos vossos sonhos, como eu não desisti do meu”, atirou.
 Pouco depois, com o rio Lima e a ponte românica de fundo, a banda da vila retomava a música, desta vez com o hino nacional, ainda cantado a várias vozes e animado pelo “obrigatório” fogo-de-artifício minhoto.
 “E agora estão todos convidados para ir beber um copo em honra do Fernando. E até à próxima medalha”, despedia-se o ‘speaker’ de uma festa que será recordada, em Ponte de Lima, pelo menos durante mais quatro anos.