Nelly Furtado vence Grammy latino de Melhor Album Vocal Pop Feminino

0
103
Nelly Furtado

Nelly FurtadoA luso-canadiana Nelly Furtado venceu o Grammy Latino de Melhor Álbum vocal pop feminino com “Mi Plan”, o 4.º álbum de estúdio da cantora e o primeiro cantado em espanhol.

 Hoje, segunda-feira, é lançado no mercado português o “Best off” de Nelly Furtado, um duplo CD com os melhores temas da cantora e três novos êxitos, com destaque para o primeiro single “The Night is Young”.
 O disco assinala o 10.º aniversário de carreira da cantora luso-canadiana, que já vendeu mais de 25 milhões de discos em todo o mundo.
 A versão de luxo do álbum apresenta os principais duetos da carreira da cantora – Juanes, Caetano Veloso, The Roots e Michael Buble – e a versão super de luxo os vídeos.

 O grande vencedor da 11.ª edição dos Grammy Latinos foi, contudo, o cantor dominicano Juan Luis Guerra, que arrecadou três dos quatro ga-lardões para que estava no-meado, incluindo o Melhor Álbum do Ano, com “A son de guerra”, numa cerimónia de gala realizada em Los Ange-les.
 Melhor álbum tropical contemporâneo, com “A son de guerra”, e Melhor canção tropical – “Bachata en Fukuoka” – foram os outros prémios atribuídos ao cantor dominicano.

 Na gala actuaram o grupo formado por Enrique Iglesias e Wisin e Yandel (“No me digas que no”), Juan Luis Guerra (“La guagua”, Prince Roy (“Stand by me”, com Ben E. King) e Ricky Martin e Natalia Jiménez (“Lo mejor de mi vida eres tú”).
 Marc Anthonhy, com a canção “Tu amor me hace bien” dedicada à mulher, Jennifer López, e Nelly Furtado e Mala Rodríguez marcaram também presença na gala.

 Ricky Martin recebeu das mãos de Plácido Domingo o prémio personalidade do ano 2010, outorgado pela Academia Latina de Gravação.
 “Bom Tempo”, de Sergio Mendes, venceu o Melhor álbum pop contemporâneo brasileiro, enquanto o de rock foi para “Camisa 10 Joga bola até na chuva”, de Charlie Brown.
 O Melhor álbum de música popular brasileira foi para “Banda Dois”, de Gilberto Gil, e o de melhor Canção brasileira foi atribuído a “Tua”, de Adriana Calcanhoto.