Nacional fecha as portas da Liga dos Campeões ao Braga

0
147
Nacional fecha as portas da Liga dos Campeões ao Braga

Com três golos em quatro minutos, o Nacional venceu  o Sporting de Braga, 3-1, e "matou" a esperança dos minhotos em atingirem o terceiro lugar e o apuramento para o "play-off" da Liga dos Campeões.

 Os insulares aproveitaram o desnorte defensivo dos bracarenses e apenas em quatro minutos viraram o resultado negativo, após o golo inaugural de Hugo Viana (35).

 Keita (76), Santos (na própria baliza, 79) e Mateus (80) consumaram a reviravolta pe-rante um incrédulo José Peseiro, que voltou a ser muito contestado pelos adeptos da casa e pouco espaço terá para continuar em Braga.

 A vencer por 1-0 e sabendo que o Paços de Ferreira empatava em Coimbra diante da Académica, os "arsenalistas" desperdiçaram a hipótese de encurtar distâncias para os pacenses e decidir o apuramento para a tão ambicionada "Champions" na última jornada.

 O jogo, com excepção de algumas fases, foi marcado por um ritmo muito baixo, mas quase sempre com um ascendente do Braga.

 Aos 21, Alan rematou em arco e a bola passou muito per-to do poste esquerdo da ba-liza defendida por Gottardi e pouco depois (25), Hugo Viana, de livre directo, obrigou o guarda-redes adversário a intervenção atenta.

 O Nacional teve resposta pronta e, no minuto seguinte, Candeias ganhou a Baiano e rematou cruzado para defesa difícil de Quim. Aos 34 minutos, uma grande jogada individual de Marçal quase resultou em golo, mas Santos impediu-o perto da linha de baliza.

 No minuto seguinte, surgiu o golo de Hugo Viana: o médio retirou um adversário do caminho e desferiu um potente remate com o pé esquerdo, sem hipóteses de defesa.

 O médio internacional português festejou de uma forma a "cheirar" a despedida, ele que termina contrato no final de Junho e não aceitou ainda qualquer proposta de renova-ção.

 Ainda antes do intervalo, os minhotos poderiam ter dilatado a vantagem, mas Nuno André Coelho (42) e Mossoró (44), com um remate à barra, falharam por pouco.

 A segunda parte abriu com um "tiro" de Hugo Viana de fora da área para grande defesa de Gottardi (46) e, na sequência do canto, Carlão falhou o cabeceamento quando tinha tudo para marcar (47).

 O jogo começava a ficar "partido" e nas bancadas a crença em ultrapassar o Paços de Ferreira aumentou quando se soube do empate da Académica.

 Mas a alegria bracarense duraria pouco tempo, porque o Nacional marcou três golos em quatro minutos, provocando uma debandada geral dos adeptos da casa.

 Aos 76 minutos, Keita aproveitou um péssimo atraso de Custódio para Quim, ladeou o guarda-redes e fez o empate, três minutos depois Santos "traiu" Quim após centro de Candeias da direita e, logo a seguir, com o Braga balanceado à procura do empate, Mateus surgiu isolado na cara de Quim e não perdoou.